Policiais Militares enfrenta policias Civis e deitam todos no chão apos operação vazar

41

A abordagem de uma equipe da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) por policiais militares do 37º BPM (Resende), no Sul Fluminense, na última quinta-feira, causou o vazamento de uma operação policial contra uma quadrilha de ladrões de caixas eletrônicos. A investigação era feita pela 89ª DP (Resende), e foi exposta após áudios de policiais sobre o caso viralizarem nas redes sociais. A ação, então, foi antecipada para este sábado.

A operação, feita em conjunto com o 37º BPM, terminou com cinco prisões e a apreensão de um revólver, um Fusca, celulares e relógios — além de distintivos da Polícia Civil, usados pela quadrilha durante as ações de roubos a caixas eletrônicos.

A abordagem aconteceu na noite da última quinta-feira. Agentes da DCOD que foram até Visconde de Mauá, em Resende, averiguar uma denúncia de que um traficante do Morro da Mangueira estava hospedado no local foram cercados por oito viaturas do 37º BPM na estrada. Os policiais civis relataram, em registro de ocorrência feito na delegacia de Resende, que apesar de estarem uniformizados, identificados e em viaturas oficiais caracterizadas, foram colocados deitados, com o rosto virado para o asfalto e ameaçados pelos militares, com fuzil apontado para suas cabeças.

O registro descreve a seguinte cena: deitado no chão e com um fuzil apontado para o seu rosto, o policial que relata os fatos pergunta ao policial militar se ele “vai ter coragem de atirar num colega”, e o PM responde que sim.

No entanto, a abordagem foi precedida de outra confusão entre policiais civis e militares, com xingamentos entre os agentes, na pousada onde estaria o traficante alvo da ação. No local, o dono do estabelecimento, desconfiado com a presença de policiais civis, ligou para o Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) da região, pedindo a presença de PMs no local.

Quando os militares chegaram à pousada, pediram a identificação dos policiais civis. Um dos agentes teria se irritado e dito: “Você não está a vendo a viatura? Eu não tenho que me identificar para você. É por isso que não gostamos de PM”, segundo relatou o policial militar que estava no local no registro interno da PM sobre o caso. Fontes ouvidas pelo EXTRA afirmam que os militares ficaram receosos com a abordagem porque sabiam que havia uma quadrilha de roubos de caixas eletrônicos que estava agindo na região disfarçada de policiais civis. Por isso, comunicaram a presença da equipe da DCOD ao batalhão que, em seguida, fez a abordagem na estrada.

A prisão do traficante alvo da ação não foi realizada. A Corregedoria da PM e a Polícia Civil abriram procedimentos para investigar o caso.

Procurada para comentar o caso, a Polícia Civil somente alegou que “os secretários de Estado de Polícia Militar e de Polícia Civil informam que todas as providências estão sendo tomadas para que os fatos sejam devidamente apurados. O coronel Rogério Figueiredo e o delegado Marcus Vinícius Braga reafirmam que a integração é a base do trabalho das duas instituições”.