O Cremerj e a OAB estão investigando o Médico que chamou paciente de burro em UPA de Cabo Frio e ainda cobrou a consulta.

45

O médico João Alfredo Figueiredo que foi flagrado em um vídeo debochando de pacientes e cobrando por futuras consultas na UPA de Cabo Frio, foi demitido nesta segunda-feira (11).

A comissão de saúde da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Conselho Regional de Medicina (Cremerj) estão apurando as denúncias contra o profissional.

O caso veio à tona depois que vídeos feitos por pacientes começaram a circular nas redes sociais. Uma das gravações mostra o médico chamando o paciente de burro.

“…você é burro e não entende, por isso que você tá usando camisa do Flamengo, inclusive”.
O paciente Jonathan Gonçalves Mendes foi atendido pelo médico na madrugada de quinta-feira (7) e disse que decidiu levar o celular para gravar a consulta depois de ouvir várias reclamações sobre o profissional.

No fim do atendimento, o médico chegou a cobrar R$ 50 pelos próximos atendimentos no mês.

Jonathan afirmou que o médico parecia estar alterado, como se estivesse sob o efeito de álcool ou alguma droga, enquanto atendia o paciente.

Uma outra paciente, que não quis ser identificada, disse que procurou a Unidade de Pronto Atendimento para tratar de uma dor de dente. Segundo ela, o médico indicou que ela tomasse morfina, anti-inflamatório usado para dores agudas, muito comum em pacientes que fazem tratamento para alguns tipos de câncer.

O médico prestou serviços à Prefeitura por quase três meses. O Cremerj informou que vai abrir uma sindicância para apurar os fatos e a conduta do profissional.

Rosângela Melo, representante da Comissão de Saúde da OAB em Cabo Frio disse, em entrevista ao RJ1 da Inter TV, que o órgão abriu um processo investigatório sobre o caso.

No sábado (9), o médico relatou à nossa redação do Rlagosnoticias, por meio de um rede social, que foi desligado da UPA e comentou que agora “não incomodaria mais essas pessoas”, já que não faria mais “isso que dizem mesmo”.

Nesta segunda-feira, a redação do Rlagosnoticias voltou a procurar o médico para que ele falasse sobre as denúncias, mas não foi possível encontrar o perfil dele nas redes sociais