Vincular suspeito de matar Marielle a Bolsonaro é ‘forçação de barra’, diz Flávio

39

Segundo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o fato de um dos suspeitos pela execução de Marielle Franco morar no mesmo condomínio de Jair Bolsonaro, presidente da República, não significa que haja uma associação entre os dois.

Ronnie Lessa, sargento reformado da Polícia Militar que foi preso durante a madrugada suspeito de ter participado do assassinato de Marielle Franco (PSOL) e Anderson Gomes, tem um imóvel no mesmo condomínio de Bolsonaro, na Barra da Tijuca.

– Não forcem essa barra que essa narrativa não vai colar com a gente. Forçação total de barra. Agora virou fator importante para o crime o cara coincidentemente morar no condomínio dele? Essa narrativa não vai colar não –

Sobre o crime, Flávio disse apenas que deve ser esclarecido como todos os outros.
– Como todos os outros milhares de crimes que acontecem, tomara que (a prisão) seja uma resolução concreta do caso.

Junto a Lessa, o ex-PM Elcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, também foi preso hoje, acusado de ter dirigido o Cobalt prata usado na emboscada. Um dos motivos que levou a polícia a concluir que ele estaria nessa posição foi a atuação anterior dele como piloto de escolta de cargas.