Policiais Civis da 107ª DP já tem pistas dos assassinos de Magno Lopes na Favelinha em Paraíba do Sul

37

A Delegada Titular da 107ª de Paraíba do Sul Cláudia Abbud já têm informações e indícios que apontam para o homem que matou Magno Lopes do Nascimento de 21 anos na madrugada de hoje (18) na localidade da Favelinha de Barão de Angra. Apuramos ainda que prisão do autor do crime está na eminência de ser decretada a qualquer momento.

A delega Cláudia Abbud disse a nossa reportagem que desde das primeiras horas após o crime a equipe está empenhada para chegar ao autor do crime.

  • As pessoas que estavam próximas ao local do homicídio não souberam informar como se deu o fato. Foi feito contato com familiares da vítima no hospital, mas ninguém soube dar informações sobre a autoria dos disparos. Mesmo assim, desde que foi comunicado o crime, a polícia vem trabalhando com empenho para identificar o assassino – comentou.

Segundo informações exclusivas, o principal motivo do assassinato é provavelmente pela liderança do tráfico de drogas na localidade. Magno tinha diversas passagens no mundo do crime.

Em 2017 aos 19 anos e ainda no Exército Brasileiro, Magninho como era conhecido e mais dois comparsas participaram de três assaltos a postos de gasolina. Policiais Civis e Militares do 38º BPM (Três Rios) através de uma ação conjunta conseguiu também aos nomes de Westley Almeida Amaral, de 20 anos, amigo de Yuri Silva de Souza de 19 envolvidos nos assaltos.

Na época a polícia foi informada que os bandidos teriam fugido em um carro Tempra, porém a equipe policial da 107ª DP analisou detalhadamente as imagens dos assaltos e constatou que na verdade se tratava de veículo Sienna, cor prata, com vidros escuros.

Segundo ainda os agentes o veículo foi encontrado, dias após os roubos em Barão de Angra, Paraíba do Sul, de posse de Westley Almeida Amaral. A investigação demonstrou que Westley alugou o automóvel no dia anterior aos assaltos e acreditava que, quando devolvesse o carro à locadora, nada poderia ligá-lo a prática dos delitos.

Segundo relatos, um dia antes do trio comentar os assaltos, Magninho efetuou diversos disparos de arma de fogo em frente a sua residência, chegando a ameaça a própria mãe.

A Polícia Civil pede o auxílio da população por qualquer informação que possa solucionar esse crime o mais rápido possível, informações podem ser feitas através do telefone 24 2263 2341, sigilo absoluto e anonimato garantido.

Comentários