Prefeitura de Arraial do Cabo,decreta calamidade pública por conta da chuva e fecha acesso principal à cidade

50

A Prefeitura de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, interior do Rio, decretou estado de calamidade pública na tarde desta sexta-feira (17) e interditou o acesso principal à cidade por conta da forte chuva que atingiu a região provocando deslizamentos.

Um deles ocorreu em um morro às margens da RJ-140 , que é o principal acesso. A passagem pelo trecho está bloqueada, principalmente por conta do risco de um poste cair e carregar os demais.

Os motoristas estão sendo orientados a pegar um acesso alternativo, pela estrada de terra ao lado da antiga empresa Álcalis, no bairro Vila Industrial. Por este acesso, os turistas e moradores chegam à cidade pela Praia Grande e não pela Prainha, onde houve a interdição.

Até a publicação desta reportagem, quatro famílias foram retiradas de locais de riscos e levadas para casas de parentes, segundo a Defesa Civil.

Segundo a Prefeitura, o objetivo do decreto é preservar o bem estar da população e das atividades econômicas. O município ainda afirma que a medida é necessária para solicitar todo tipo de cooperação nas situações emergenciais.

“As fortes chuvas que atingiram a cidade resultaram em danos materiais, ambientais e sociais”, diz município.

Ainda nesta sexta, o prefeito de Arraial, Renatinho Vianna, se reuniu com uma equipe da Defesa Civil do Estado para avaliar as condições do município e um gabinete de crise foi montado no gabinete do prefeito para acompanhar as ações e um relatório deverá ser enviado à Defesa Civil do Estado.

A prefeitura de Arraial disse ainda que solicitou à União equipes da força nacional e a cooperação de regiões vizinhas.

“Estamos vivendo um momento triste em nossa cidade, em que famílias perderam suas casas, estradas interditadas, deslizamentos de terra, entre outros transtornos causados por essa forte chuva”, diz Renatinho.

Até a tarde desta sexta, já foram confirmados três deslizamentos em áreas residenciais. Além do deslizamento na curva da Prainha, houve registro na Rebeche e na Praia do Pontal, mas sem famílias atingidas.

Os demais locais atingidos são Beco de Búzios, Cabocla, Travessa Vera Cruz, e escadaria do Canaã.

Agentes da Guarda Ambiental e da Guarda Municipal estão nos pontos críticos controlando o trânsito e monitorando a situação. Os agentes da Defesa Civil seguem atendendo a todos os chamados.