Sociedade cabofriense irá se reunir para abraçar a Fazenda Campos Novos em Cabo Frio

176

Um grande evento à favor da cultura de nosso município , vem sendo organizado por importantes membros da sociedade civil de Cabo Frio.

A ideia nasceu de um grande sentimento de preservação da  nossa história , a frente desse movimento de união e amor está Dr. Rogério Carvalho  advogado atuante em causas nobres , reuniu diversas personalidades da cidade tais como : Zenilda Teca , Vini , Tiano , Rejane Jorge , Patricia Cardinot entre outros.

A intenção do abraço à fazenda , é chamar a atenção das autoridades e da população para importância da preservação histórica e cultural do local.

O Evento vai acontecer na quarta-feira ( 31 ) às 15:00h

A Fazenda Campos Novos é uma das mais antigas do Brasil, com construção iniciada em 1690 e fazia parte do projeto da Companhia de Jesus para ocupação do litoral fluminense.

Localiza-se no distrito de Tamoios, Cabo Frio (RJ), entre os municípios de São Pedro e Casimiro de Abreu, numa elevação da planície pantanosa dos rios Una e São João, junto ao caminho colonial que ligava Campos dos Goytacazes ao Rio de Janeiro, cultivou café e açúcar.

Parte de sua produção açucareira era transportada pela estrada de São Jacinto em carro-de-boi até o Porto do Carro, às margens da Lagoa de Araruama

Em novembro de 2011, o sítio da antiga fazenda de Santo Inácio de Campos Novos, localizada no distrito de Tamoios, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional (Iphan).

Com o tombamento federal – cujo processo foi iniciado em 2002 – todo o conjunto composto pela casa, capela e cemitério passou a ser reconhecido com elevado valor histórico e arquitetônico.

As terras da Fazenda Campos Novos tinham “de testada quatro léguas e meia principiando a mesma no sítio chamado de Genipapo partindo da parte do Norte com os moradores da baía Formosa, do Sul com as terras da aldeia dos índios de São Pedro e da do Norte correndo rumo ao Nordeste por costa do mesmo mar até a praia do Rio de São João e do Poente com o sertão até intestar nas terras de Bacaxá”