Morte de borracheiro do Guarani tem ligação com os Vigias sequestrados e torturados em Comunidade do Bairro Manoel Corrêa em Cabo Frio “afirma delegado”

Compartilhar

Uma mega operação na comunidade do bairro Manoel Corrêa, prendeu 21 pessoas na durante a manhã e a tarde de quarta – feira (07).

O delegado Titular Dr Sérgio Caldas e o Coronel do 25ª BPM deram uma coletiva falando sobre a operação que foi a finalidade dela.

De acordo com o delegado a operação foi denominada como “Operação Toxicity”, onde teve a finalidade de realizar mandados de prisões contra o tráfico de drogas, e também para prender os suspeitos de terem torturado e sequestrado os vigias o Espírito Santo,e pela morte do borracheiro do Guarani.

A polícia afirmou, durante entrevista coletiva realizada no fim da tarde, que nove deles já foram identificados pelo crime. E, ainda segundo a polícia, pelo menos um deles, matou, dias depois, um borracheiro que teria contratado os serviços dos vigias.

“Esse borracheiro contratou o que eles chamam de vigilantes noturnos. Isso chegou aos ouvidos dos traficantes que entenderam que isso era uma atividade de milícia, que poderia, de alguma forma, prejudicar as atividades criminosas na região, e mataram, de forma também covarde, o borracheiro”, disse Sérgio Caldas, delegado da 126ª DP.

Todos eles estão com mandados de prisão provisórios,os 21 presos serão transferido para uma penitenciária da Capital nesta quinta – feira (08).

Ossada encontrada

Restos mortais também foram encontrados na tarde desta quarta-feira (7) na Comunidade Manoel Corrêa, em Cabo Frio, e levados para análise no Rio de Janeiro.

O material biológico será submetido a exame de DNA para que a polícia descubra se os restos mortais são dos dois vigias do Espírito Santo, Luiz Paulo dos Santos França, de 29 anos, e Héder Henrique, de 32 anos, que estão desaparecidos desde o dia 27 de julho, quando foram sequestrados por traficantes da Favela do Lixo, que fica na localidade.

Entre os materiais apreendidos estão cinco armas de fogo, dezenas de granadas artesanais, rádios transmissores, munições, drogas (maconha, cocaína e loló), fogos de artifício, cadernos de anotação do tráfico, além de dois jacarés (material usado para estourar pneus).

Comentários