LUTANDO PELO FUTURO – karate na escola como ferramenta educacional como ferramenta disciplinar.

Compartilhar

Se você acredita que karate é só mais uma luta, saiba que você se engana. E se acredita ainda que todo professor de luta é igual, saiba que erra ainda mais. Existe um bordão que diz. Pratique arte marcial, pois isso vai te ajudar. Mas cuidado não é bem assim.Embarque conosco nessa matéria e fique por dentro do assunto.

No estado do Rio de Janeiro existe um grupo chamado Samurai Karatê Clube. Esse mesmo grupo conta com mais de 500 alunos que vão desde os mais novos com apenas 3 anos a alunos com mais de 80. Essa quantidade de alunos se deve a um objetivo em comum, treinar o karatê como ele é.

O responsável por esse grupo em Cabo Frio é o Professor de Educação Física e Sensei Bruno Evódio (CREF 025824 G/RJ). Empenhado e dedicado ao karatê optou por formar-se em Educação Física para aprimorar suas aulas de karate. Hoje ele conta com diversas turmas espelhadas pela cidade de Cabo Frio. “Ele respira Karatê! ” Afirma um de seus alunos.

Mas não pense que ensinar karatê dessa forma seja algo simples, existem diversos aspectos que devem estar presentes numa aula de karatê. Para melhor compreensão vamos dividi-los em 3 tipos.

O aspecto marcial, o desportivo e o comportamental. Que explicaremos abaixo a luz do conhecimento do Sensei Bruno Evódio. Convido você a viajar um pouco as origens e princípios do karatê e entender como essa arte que atravessou o mundo pode mudar a vida de pessoas nos dias de hoje e influenciar positivamente nossa sociedade.

Primeiro o aspecto marcial.Okarate foi criado para defesa pessoal, para sancionar um confronto da forma mais rápida e eficiente possível. Muitas mulheres procuram aulas de karatebuscando sua própria segurança ao mesmo tempo em que buscam uma atividade física que emagreça e lhe proporcione bem-estar.

O segundo é o karate como esporte, ele é o karatê que hoje está na mídia, o karate como competição. Repleto de regras para proteger a integridade dos competidores ele apresenta diversos benefícios. Mas é importante que esse aspecto não seja passado ao aluno como objetivo final do karate. Pois se olhar somente para competições você acabará limitando seu karate somente a um esporte e nada mais.

Por fim, mas não menos importante temos o aspecto comportamental. Esse deveria ser o objetivo máximo de qualquer luta. A disciplina presente no karate foi o que o impulsionou a ser praticado em todo o Japão e posteriormente em todo o mundo. No entanto, nos dias de hoje muitos professores acabam deixando essa parte de lado em suas aulas, seja por falta de conhecimento ou simplesmente por priorizar as competições e acreditar que trabalhar valores seria uma “perda” de tempo.

Muitas pessoas acreditam que ingressando numa luta melhorarão seu autocontrole.E isso é parcialmente verdade. Pois essa mudança depende de diversos fatores, como metodologia e dinâmica das aulas, conhecimento específico do professor, bem como interesse do aluno e suporte da família. Ignorando-se tudo isso, resultados positivos são superficiais ou apenas sorte.

Bruno nos diz ainda que tanto o aspecto marcial como desportivo deveriam ser somados ao comportamental. É assim que o karatê é, foi e continuará sendo. Mas infelizmente muitos professores a fragmentaram e polarizaram o karate nos dias de hoje, transformando-o em pequenas frações do que ele realmente deveria ser.

Quando questionado de onde vem sua imersão a esse universo e de onde vem tanta dedicação ele nos conta.

“Sou quem eu sou porque tive um professor assim, ele me ensinou e me ensina até hoje. Elese chama Mario Sérgio. Foi ele quem fundou a Samurai Karate Clube no início da década de 80 e que hoje tenho a honra de ser representante em nossa cidade. A história do meu sensei se mescla a origem do karatê no Brasil.

Quando não estou dando aulas, estou treinando na academia que ele leciona. Tenho a sorte dele hoje ter escolhido morar em Praia Seca, Araruama município vizinho da minha cidade.O papel do sensei do karate, hoje não é somente de ensinar uma luta. Devemos ir mais além, transmitir e demonstrar valores.

De nada vale títulos e medalhas se meus alunos não enxergam na prática eu sendo alguém que viva os valores que ensino em minhas aulas.Hoje com meus 34 anos interajo com diversas vidas levando a outras pessoas o mesmo karate que moldou minha própria vida e forma de enxergar o mundo. ” Nos conta Bruno.

Então que tal buscar um local para treinar karatê ainda hoje?
Acesse a nossa pagina no facebook – Sensei Bruno Evódio – Samurai Karatê Clube Cabo Frio

Comentários