Colunista Sérgio Constantino / Como Aplicar Seu Dinheiro Com Mais Rentabilidade

Compartilhar

Não importa se você tem muito ou pouco dinheiro para investir ou se o seu perfil é conservador ou agressivo. Em todos os cenários, rentabilidade é uma das suas prioridades.

Como aumentar a rentabilidade?

O primeiro passo para gerar mais rentabilidade é ter mais conhecimento sobre esse tema. Por isso, reforço novamente: nunca deixe de estudar, procurar, ler e conversar sobre investimentos.

Lembre-se de que investir é um processo constante, não basta investir uma vez em uma determinada aplicação e apenas sentar e esperar resultados. É preciso estar por perto, acompanhando o rendimento do dinheiro.
Quanto mais tempo você se dedicar a aprender sobre investimentos, irá descobrir novos caminhos mais rentáveis e mais interessantes para seus objetivos. É um processo de aprendizado e de fazer algumas tentativas, antes de encontrar a melhor aplicação.

Como Fugir Dos Riscos

Fugindo Dos Riscos
Todo investimento envolve riscos, mesmo que sejam conservadores. É importante saber disso antes mesmo de começar a investir.
Já que inevitavelmente você estará correndo riscos ao investir, vale a pena tomar alguns cuidados para diminuir a chance de erro.
Antes de investir em qualquer aplicação, avalie aspectos como:
Risco de mercado

Esse risco está associado aos movimentos de preços, taxas de juros e do câmbio. Mede-se pela diferença entre o desempenho do investimento e algum outro parâmetro, como a taxa do CDI ou do Ibovespa.
Como todo investimento está sujeito aos riscos de mercado, o mais indicado é, novamente, trabalhar com uma carteira diversificada de aplicações.

Risco de liquidez

Liquidez é a facilidade ou dificuldade em vender um ativo de sua carteira de investimentos. Um investimento de renda fixa, por exemplo, é mais fácil de vender do que um investimento em imóvel.

Considere esse fator ao decidir em quais segmentos investir. Por isso, ressalto a importância de começar a investir já com um objetivo em mente.
Risco de crédito

É o risco da instituição envolvida no seu investimento não pagar a parte dela, como é necessário, no caso de debêntures, por exemplo.
Espero que tenha gostado do conteúdo! Caso tenha alguma dúvida, crítica ou sugestão, estarei à disposição para ouvi-lo na sessão de comentários!

Comentários