Deputado Estadual Dr Serginho vota na CCJ pela manutenção da prisão dos deputados “presos na Operação Furna da Onça”

32

Em uma reunião que durou mais de quatro horas, os deputados da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alerj finalizaram um projeto para que o plenário vote pela soltura dos parlamentares presos na Operação Furna da Onça.

Só votaram contra a resolução os deputados Dr Serginho (PSL) e Luiz Paulo (PSDB).

A votação pela soltura dos deputados presos deverá ir a plenário amanhã. Você cidadão de bem, que quer uma política nova e de boas e corretas atitudes de seus representantes, fique de olho para saber como irá votar o seu deputado*.

Estou extremamente satisfeito e orgulhoso do meu voto. A posição de independência, e de coragem, demonstra a diferença entre o novo Dr. SERGINHO e os antigos de idéias e práticas politiqueiras.

Veja como votou cada membro da CCJ:

  • Márcio Pacheco (PSC) – soltura
  • Rodrigo Bacelar (SDD) – soltura
  • Max Lemos (MDB) – soltura
  • Jorge Felippe Neto (PSD) – soltura
  • Luiz Paulo (PSDB) – prisão
  • Dr Serginho (PSL) – prisão
  • Carlos Minc (PSB) – soltura

Inicialmente, a Alerj votaria apenas a soltura dos três deputados que pediram a libertação ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas a CCJ estendeu o possível benefício aos outros dois.

Os deputados presos são André Corrêa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante) e Marcus Vinicius Neskau (PTB).

Os deputados foram presos acusados de terem recebido vantagens do esquema chefiado pelo ex-governador Sergio Cabral em troca de votações favoráveis ao governo na assembleia.

A votação foi determinada pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmen Lúcia na semana passada.

Ela baseou a decisão em sentença do STF de maio, que entendeu que assembleias estaduais têm o mesmo poder do Congresso de votar se parlamentares que sejam presos devem ser soltos.

Quem são os presos:

  • André Corrêa (DEM)
  • Luiz Martins (PDT)
  • Marcus Vinicius Neskau (PTB)
  • Chiquinho da Mangueira (PSC)
  • Marcos Abrahão (Avante)

Os dois presos que não recorreram ao STF: Chiquinho da Mangueira e Marcos Abrahão.

Todos os cinco foram presos na operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato, acusados de receber propina de empresas para favorecê-las em votações na Casa. Em março, a Mesa Diretora da Alerj decidiu, por unanimidade dos presentes na reunião, dar posse aos deputados presos.

Comissão de Constituição e Justiça

A CCJ é formada por 14 membros: sete titulares (com direito a voto) e sete suplentes. Os membros titulares da CCJ são:

  • Márcio Pacheco (PSC)
  • Rodrigo Bacelar (SDD)
  • Max Lemos (MDB)
  • Jorge Felippe Neto (PSD)
  • Luiz Paulo (PSDB)
  • Dr Serginho (PSL)
  • Carlos Minc (PSB)
Comentários