Os perigos do descarte incorreto de medicamentos

128

O descarte incorreto de medicamentos traz como conseqüências a agressão ao meio ambiente, a contaminação da água, do solo e de animais.

Desde 2010, a Lei 2.305, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, prevê que fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de um determinado produto que possa causar danos ao meio ambiente ou à saúde humana devem criar um sistema de recolhimento e destinação final independente dos sistemas públicos de limpeza urbana.

Segundo a Anvisa, a logística reversa significa utilizar o mesmo caminho que o medicamento faz até o consumidor final para que o resíduo seja recolhido e tratado da forma correta. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, a importância de se descartar corretamente esse tipo de produto deve-se ao seu potencial perigo ao meio ambiente e à saúde humana. Apesar dos diferentes níveis de riscos relacionados ao descarte de medicamentos, como os descartados por hospitais, farmácias ou pela dona-de-casa, todo resíduo de produto farmacêutico precisa ser tratado adequadamente.

Texto de Hayrton Rodrigues do Prado Filho

https://revistaadnormas.com.br/2018/06/19/os-perigos-do-descarte-incorreto-de-medicamentos/

Quantos problemas podem ser gerados por esses medicamentos que foram descartados ilegalmente e o porquê foi descartado na natureza se existe uma lei que obriga as indústrias farmacêuticas há retirar os medicamentos vencidos para incineração.

Cabe agora ao MP solicitar uma investigação policial para averiguar a origem desse material descartado e cobrar do responsável, até porque temos denuncias de medicamentos desviados de nossos postos de saúde que estão em investigação do MPRJ.

Cada dia que passa Cabo Frio acorda com mais uma noticia de descaso e abandono, aonde acontecem crimes contra há ordem publica e não se acham culpados (ou fingem não achar), uma cidade que já foi referencia mundial, hoje é piada nacional.

Diego D. Dias – Colunista

Diplomata Civil Capelão