Colunista Aquiles Barreto / Mais verba para a saúde em 2020

Compartilhar

Depois de meses seguidos com notícias negativas na área da saúde, esta semana tivemos, enfim, uma notícia positiva, que veio não do governo, mas da Câmara de Vereadores: conseguimos aprovar, em regime de urgência e por unanimidade, a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2020, cujo valor será de R$ 956 milhões, cerca de 8% maior do que orçamento aprovado para este ano.

Mais do que isso: através de emendas impositivas conseguimos ampliar o orçamento para a saúde. Pra quem não sabe, emenda impositiva é o instrumento pelo qual nós, vereadores, podemos apresentar emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA) destinando recursos para determinadas obras, projetos ou instituições.

No meu caso, 50% de toda a verba que me cabia destinei para investimentos no Hospital da Mulher. Os outros 50% dividi entre outras secretarias: uma parte para o Centro de Beneficiamento de Pescado, melhorias na Feira Sebastião Lan e também para ações da Superintendência de Igualdade.

Faltam menos de três semanas para a chegada de 2020, e todo fim de ano é comum que as pessoas façam planos para o próximo ano, criem expectativas, renovem as esperanças sobre vários aspectos da vida pessoal e profissional.

A minha esperança é que essas emendas realmente ajudem a mudar a situação caótica em que se encontra nossa Cabo Frio, porque não aguentamos mais assistir a tantos problemas.

Somente nas últimas semanas tivemos o anúncio de fechamento da UPA de Tamoios para reforma justo no momento em que a demanda é maior por conta do verão; tivemos mais de 200 médicos sendo demitidos (também às vésperas do verão) porque acumulavam mais cargos do que deveriam; vimos o teto de uma escola desabar; alunos sem saber onde vão estudar em 2020 porque o governo decidiu acabar com o Ensino Médio na rede municipal.

Não bastasse tudo isso, pais de alunos voltaram a viver incertezas com relação ao fechamento do ano letivo de 2019 por conta de salários atrasados dos profissionais da Educação.

E mais: há poucos dias fomos surpreendidos com a notícia de que o Hospital de Tamoios suspendeu o atendimento alegando ter recebido determinação do Cremerj, obrigando pacientes a procuraram atendimento em Rio das Ostras, que fica a 13 Km de distância. O Cremerj, por sua vez, teria negado qualquer determinação para fechar a unidade.

Mais uma vez, o que se vê é falta de organização, de planejamento, de compromisso com a população, algo que estamos denunciando há muito tempo, e que agora ganhou apoio inclusive da OAB Cabo Frio, que esta semana promoveu uma reunião com participação do Ministério Público e outras entidades.

Na ocasião, o órgão confirmou algo que todos nós já percebemos: o sucateamento rede pública de saúde na cidade em detrimento do fortalecimento da rede privada, o que tem causado sérios problemas como demora no atendimento e falta de médicos.

Outro exemplo disso foi constatado esta semana no Hospital do Jardim Esperança: vários pacientes reclamando da demora no atendimento e da falta de exames.

Uma mãe contou que a filha estava com febre há três dias, e em nenhum momento os médicos do Hospital do Jardim pediram exames para a criança: apenas aplicavam injeção de Dipirona.

Preocupada, ela levou a menina na UPA de São Pedro da Aldeia, onde um raio-x confirmou que a criança estava com pneumonia. Mais um caso grave de omissão que, por sorte, não terminou em nova tragédia. Que 2020 nos traga melhores notícias.

Comentários