Alerta: Secretaria de Saúde investiga cinco casos suspeitos de coronavírus no estado do Rio de Janeiro

Compartilhar

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou na quarta-feira (26) que investiga cinco casos suspeitos de coronavírus no estado do Rio, sendo dois na capital, dois em Niterói e um em Nova Iguaçu.

As informações ainda dependem da confirmação do Ministério da Saúde, que contabiliza, até o momento, duas suspeitas no estado.

A diferença entre os dados do Ministério e da Secretaria acontece por causa do horário em que as informações são fechadas. O boletim do Ministério é fechado ao meio-dia, enquanto a Secretaria encerra o seu balanço diariamente às 16h.

Diagnóstico laboratorial do coronavírus realizado pelo Laboratório de Vírus Respiratório e Sarmpo do Instituto Oswaldo Cruz  — Foto: José Damacena/IOC Fiocruz

Segundo a Secretaria, todos os casos suspeitos seguem protocolos de atendimento preconizados pelo Ministério da Saúde e previstos no plano de contingência da própria secretaria.

Infectologista dá orientações sobre o novo coronavírus e faz alerta sobre fakenews

Apesar da suspeita, a Secretaria explica que não há motivos para a população se alarmar, mas recomenda alguns cuidados básicos de prevenção ao contágio.

Dicas de Prevenção

  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres e copos:
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
  • Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
  • Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

Primeiro caso no Brasil

Na quarta-feira (26), o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso de coronavírus no Brasil e em toda a América Latina. O paciente é um homem de 61 anos, que mora em São Paulo, fez viagem para a Itália entre 9 e 21 de fevereiro. Dois testes deram positivo para infecção. O homem está em quarentena domiciliar e 30 pessoas da família estão em observação.

De acordo com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, não há motivos para alarde.

“Essa é mais uma gripe que o mundo vai ter que atravessar (…) Já passamos por epidemias respiratórias graves, como a H1N1. (…) Vamos passar por essa situação investindo em soluções, ciência e informação”, afirmou Mandetta.

Comentários