Colunista Lorena Serpa | Cactos espinhos, fruto e vida

Compartilhar

O quanto você é uma pessoa observadora? Suas observações levam você, a perceber a singularidade das coisas, das pessoas, da criação, além de uma auto reflexão?

Estava a pensar e a esmiussar os detalhes dos Cactos de Restinga. Certamente você já deve ter visto algum, principalmente se você já esteve em uma praia rodeada por uma restinga.

Os Cactos de Restinga, não trazem consigo nenhuma beleza ao primeiro olhar. Trata-se de um tronco espinhoso, e vale ressaltar que seus espinhos causam um incômodo de chamar nossa atenção.

Alguns com troncos em cores bem esverdeados, outros, puxando para um marrom claro e várias saliências devido a agressividade dos ventos e a maresia do litoral, trazendo uma aparência ainda mais peculiar. Esses cactos, nos chamam à atenção em dois momentos: suas flores e seus frutos. Fazendo-nos a pergunta desconcertante: como é possível algo tão espinhento, com uma aparência nada encantadora, produzir tal beleza?

Digno de nota é dizer que em sua maioria, os cactos, carregam dentro de seus troncos, água.

Imagine você estar num ambiente de extremo calor, caminhando por algumas horas e, nessa caminhada não ter recursos algum, estando seu organismo apresentando sinais quanto a necessidade de água. Você olha e nada vê, se deparar com um cactos, cheio de espinhos, aparência nada bela aos seus olhos, mas que reserva dentro de si, algo que pode saciar a sede que seu corpo tanto precisa, além, de ainda ter um fruto que pode saciar sua fome! Isso não é incrível? Não é algo belíssimo e totalmente singular

Seu tronco proteje a água dentro de si e nutri a flor e o fruto, viçosos, cheio de nutrientes e saborosíssimo.

Segundo pesquisas sobre os benefícios dos cactos, estudiosos afirmam que: “Todos os membros da família Cactaceae têm folhas, flores, raízes e até frutos. Existem quase 130 gêneros e 1500 espécies de cactos ao redor do mundo. A planta de Opuntia ficusindica produz frutos doces e folhas verdes volumosas. Elas são usadas como vegetais verdes comuns e consumidas como salada ou suco. As plantas de cactos absorvem a água e armazenam-na em seu caule.” 

Algumas das espécies de cactos segundo pesquisadores possuem ações:  antibiótica, vermífuga, analgésica e anti-inflamatória, usada no tratamento de água, dentre outros. Cientificamente, não há nada de comprove a ação junto a medicina quanto a utilização do Cactos, mas, sim relatos culturais, quanto ao uso em tratamentos naturais, por apreciadores e pesquisadores. Mas o que quero chamar à sua atenção é para o fato dos espinhos; algo aparentemente não belo, trazer tantas coisas boas, trazer consigo tanta riqueza e singularidade.

Isso vale para nós em cada detalhe e ciclo de nossa existência, nem sempre o belo em sua aparência traz consigo vida e benefícios e, nem sempre o feio em sua aparência, traz consigo inutilidade e morte. É preciso analisar cada detalhe, é preciso enxergar e não apenas olhar, é preciso conhecer e seguir em conhecer, é necessário uma experiência, ir mais profundo quanto à sua existência, afinal, cada coisa, cada pessoa foi criado com um propósito e não podemos descartar nada devido a sua aparência. É possível em meio aos espinhos encontrar beleza e vida.

Digo a você que embora sua vida possa estar atravessando uma sequidão, dias quentes que lhe trazem tamanha exaustão, rodeada de espinhos que lhe trazem dor, observe os frutos, flores e a água que diariamente lhe estão sendo produzidos, a fim de que você sobreviva a mais um dia. Mesmo os dias estando com uma aparência feia aos nossos olhos, existem cores, sabores e aromas que só são contemplados por quem está atento aos detalhes e a singularidade de cada fato, de cada coisa, de cada pessoa.

Saboreie sabiamente cada fruto, sinta o perfume de cada flor e beba cuidadosamente a água que está guardada no tronco.

Captura de Imagem: fotógrafa Giselle Ruiz

Lorena Serpa

Pedagoga

Especialista em MBA Gestão Empresarial

Estudante de Psicopedagogia Clínica

Comentários