MP investiga prefeita Lívia de Chiquinho e seu marido por improbidade administrativa em Araruama

Compartilhar

Marido de Lívia, Chiquinho do Atacadão e o homem que manda no governo

O juiz da 2ª Vara Cível da Comarca de Araruama, Rodrigo Leal Manhaes de Sá, manteve a sentença que condena a prefeita de Araruama Lívia de Chiquinho (PP) e seu marido Chiquinho do Atacadão pelo ato de improbidade administrativa.

Em decisão proferida no último dia 9 de março, o magistrado reforçou que a fundamentação da sentença da juíza Maíra Veiga é “clara” e, consequentemente, rejeitou os embargos declaratórios do casal por não vislumbrar qualquer omissão, obscuridade ou contradição.

Trata-se do processo n.º 0003050-77.2017.8.19.0052, de autoria do Ministério Público, que confirma a quebra de princípios na administração pública municipal, como legalidade, impessoalidade e moralidade, uma vez que a prefeita Lívia Soares Bello da Silva acomodou-se na condição de “prefeita de fachada” e o marido Francisco Ribeiro, vulgo Chiquinho do Atacadão, é o “prefeito de fato”, conforme mostrou a reportagem do SBT Brasil em abril de 2017.

Além da perda da função pública e suspensão dos direitos políticos pelo prazo de 10 anos, a prefeita terá que pagar uma multa de 80 vezes o valor da remuneração do cargo ocupado. Já o marido, campeão de processos e condenações, terá mais 5 (cinco) anos de inelegibilidade e pagará uma multa de 100 vezes o valor da remuneração dela.

“Deixar-se concorrer com o nome de ‘LÍVIA DE CHIQUINHO’ é submeter-se à condição de ‘coisa’ e não de pessoa, porque mulher nenhuma é propriedade de homem nenhum”, destacou a juíza na decisão de outubro do ano passado.

Com o intuito de ter a prefeitura em suas mãos de forma indireta, Chiquinho do Atacadão dizia “vota nela que eu volto” nos comícios e reuniões políticas. A equipe de reportagem do SBT flagrou o marido de Lívia dentro da prefeitura e numa das imagens ele sai lá de dentro com uma caixa de uísque debaixo do braço.

A caminho da cassação, a prefeita Lívia de Chiquinho acumula uma das maiores rejeições da história política de Araruama. O desgaste do governo é incontestável e corre o sério risco de não participar do processo eleitoral.

Comentários