Congestionamento na Ponte Rio-Niterói indica que muitos cariocas viajaram no feriadão Região dos Lagos foi a mais procurada

58

Apesar da falta de previsões de empresas e órgãos públicos sobre a circulação de turistas no estado no feriadão de Corpus Christis, a percepção que se tem, a partir de dados divulgados pela Ecoponte, concessionária que administra a Ponte Rio-Niterói, é que a pandemia do novo coronavírus não está deixando as pessoas em casa.

Às 18h de quarta-feira, a Ecoponte registrou um congestionamento no sentido Niterói que provocou uma travessia de 44 minutos, mais de três vezes do que o normal.

De acordo com a empresa, a partir da segunda quinzena de março e até maio a redução do tráfego na ponte chegou a 50%. Dos 150 mil veículos que circulavam pela ponte em ambos os sentidos diariamente, o volume caiu para 75 mil.

Em junho, segundo a Ecoponte, a redução do tráfego reduziu a 30%, chegando a 105 mil veículos por dia em ambos os sentidos. Na sexta-feira da semana passada, o congestionamento chegou a 42 minutos de travessia, às 19h, na Ponte Rio-Niterói.

Com barreiras sanitárias em razão do novo coronavírus, as cidades da da Costa do Sol tentam se precaver, mas não conseguem evitar o acesso de visitantes que são proprietários de residências nas cidades.

É o que acontece em Armação dos Búzios e Cabo Frio, por exemplo. Além das pessoas que decidiram passar a quarentena em suas casas nas cidades na Costa do Sol, muita gente tem ultrapassado as barreiras apresentando documentos de propriedade de imóveis para passar o feriadão. As prefeituras não tem um balanço do número de visitantes, que só deve ser fechado no fim de feriado.

Em Búzios, a prefeitura afirmou que as barreiras sanitárias estão impedindo acesso de pessoas que não tem propriedades no município ou que estejam febris. Bares, restaurantes, hotéis e pousadas dos municípios da região estão fechados por causa da pandemia.

A Rodoviária Rio de Janeiro também calcula as viagens e de passageiros neste início de feriado. Mas na Rodoviária Roberto Silveira, em Niterói, informou na manhã desta quinta-feira que 30 ônibus tinham viagens marcadas para a Região dos Lagos a partir de Niterói.

A assessoria informou que está monitorando o movimento de embarques e desembarques na Rodoviária Rio de Janeiro e que passará as informações ao longo do feriado.

Em Cabo Frio, o fotógrafo, cinegrafista e comerciante, José Antônio Moreira dos Santos, síndico de dois condomínios na Praia do Peró, disse estar preocupado com o aluguel de de algumas residências para temporada.

Ele reclamou de um proprietário de um dos condomínios que mesmo depois do início da pandemia vem alugando seu imóvel para que famílias passem o dia na região.

– A gente tenta se preservar contra o coronavírus e tem uma pessoa no dos condomínios que insiste em alugar seu imóvel para visitantes. As pessoas chegam com conta de luz e passam pelas barreiras tranquilamente para se instalarem no imóvel. Foi o caso de duas mulheres, uma adolescente e um cachorro que chegaram no fim de semana passado para ficarem no imóvel – reclamou.

Aeroporto com queda de 90% de passageiros

A Infraero informou que o Aeroporto Santos Dumont deverá receber 15.866 passageiros, entre embarques e desembarques, durante o feriado de Corpus Christi, no período de 10 a 15 de junho.

O número representa uma queda de quase 90% na comparação com o fluxo do mesmo feriado de 2019, entre 19 e 24 de junho, quando o terminal recebeu 141.366 viajantes. São esperadas 165 operações de pousos e decolagens neste ano, 1.231 a menos que em 2019. A Infraero ressaltou que está recomendando que apenas se dirigiam aeroportos as pessoas que precisam viajar.

“Nos terminais, os viajantes encontrarão uma estrutura ajustada às  medidas sanitárias determinadas pela Agência Nacional de Vigilancia Sanitária (Anvisa) para que todas as atividades ocorram com os cuidados que o combate ao coronavírus exige”, disse em nota.