Ex-goleiro do Flamengo Bruno faz propaganda de canil e causa revolta na Web na Região dos Lagos

211

O ex-goleiro Flamengo Bruno causou muita polêmica na tarde de quarta – feira (24), ao fazer uma postagem em seu Instagram.

O atleta apareceu fazendo propaganda para um canil, mas o fato não repercutiu bem.

https://twitter.com/roberto_accioly/status/1275835659836624897

Bruno foi condenado por ser o mandante do assassinato de Eliza Samúdio, sua ex-amante, ocorrido em 2010 e a Justiça acredita que os restos mortais da vítima foram comidos por cachorros.

Apensa do ex- goleiro negar as informações, que não a matou, a justiça condenou bruno onde o mesmo agora está em condicional.

Bruno está morando na Região dos Lagos do Rio, em Arraial do Cabo, o mesmo já foi flagrado treinando diversas vezes na Região.

https://www.instagram.com/p/CByandCM0wt/?utm_source=ig_web_copy_link

A Justiça de Minas Gerais autorizou o goleiro a se mudar para Arraial do Cabo, na Região dos Lagos do Rio, no final de março. A defesa de Bruno tinha feito o pedido à Vara de Execuções Penais da cidade mineira de Varginhas, onde ele continuava a cumprir a pena pelo crime em regime domiliciar.

Bruno está solto desde o ano passado, após ganhar o direito de cumprir o restante da pela morte de Eliza, em 2010, no regime semiaberto. Atualmente ele vive com sua mulher, Ingrid Calheiros.

Ao permitir que fosse para o Rio, o juiz Tarcísio Moreira de Souza determinou que ele cumprisse algumas condições, como comprovar que estava trabalhando.

Morando em Arraial do Cabo, Bruno terá que continuar cumprindo as condições impostas, mas é a Vara de Execuções Penais do Rio que ficará responsável pelo processo de cumprimento da pena pelo goleiro.

Bruno foi condenado a uma pena de 20 anos e 9 meses pela morte de Eliza e pelo sequestro e cárcere privado de Bruninho, filho dos dois.

Bruno também havia sido condenado por ocultação de cadáver, pena que foi depois extinta, após a Justiça de Minas entender que o crime prescreveu. O filho do casal vive com a avó materna no Mato Grosso do Sul.