Fundador da Ricardo Eletro é preso por sonegação fiscal

Compartilhar

O empresário Ricardo Nunes, fundador da rede varejistas Ricardo Eletro, foi preso, na manhã desta terça-feira (08), em São Paulo, durante uma operação para combater a sonegação fiscal e lavagem de dinheiro em Minas Gerais. A ação é realizada pelo Ministério Público de Minas Gerais, pela Receita Estadual e pela Polícia Civil.

Além de Ricardo, a filha Laura Nunes, foi presa por agentes civis, em Belo Horizonte. Também há um mandado de prisão em aberto para o diretor superintendente da Ricardo Eletro, Pedro Daniel Magalhães, em São André (SP).

De acordo com as investigações, aproximadamente R$ 400 milhões em impostos foram sonegados ao longo de cinco anos. Ao todo, três mandados de prisão e quatorze mandados de busca e apreensão expedidos pela Vara de Inquéritos de Contagem.

Além dos mandados de prisão, a justiça já determinou o sequestro de bens imóveis de Ricardo Nunes, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, com a finalidade de ressarcir o dano causado ao Estado de Minas Gerais.

Ainda segundo as investigações, a fraude ocorria da seguinte forma: as empresas da rede de varejo cobravam dos consumidores, embutido no preço dos produtos, o valor correspondente ao imposto. No entanto, os investigados não faziam o repasse e se apropriavam desses valores

A operação recebeu o nome de “Direto com o Dono” e ganhou força após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de novembro de 2019, que definiu como crime a apropriação de ICMS cobrado de consumidores em geral e não repassados ao Estado.

Comentários