Polícia prende golpistas que iludiam idosos proprietários de ações sem valor de mercado

35

Uma operação da Polícia Civil cumpre 27 mandados na manhã desta sexta-feira contra uma quadrilha de estelionatários, que vitimava preferencialmente, idosos.

O bando descobria em cadastros online proprietários de títulos de clubes de viagens e ações sem valor de mercado. Em seguida, os golpistas entravam em contato se oferecendo como intermediários para a venda daqueles bens. As vítimas eram levadas a pagar taxas ao grupo para supostamente regularizar os títulos.

Até o momento cinco pessoas foram presas. A Polícia está nas ruas para cumprir 11 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão. Os presos serão encaminhados á Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio.

O delegado Marcos Cipriano, titular da Delegacia de Defraudações, explica que os criminosos ligavam para as vítimas, dizendo que havia uma empresa interessada em pagar um valor vantajoso por aquele título ou ação.

“Ligavam, confirmavam se a pessoa tinha título. Diziam que uma empresa pagava R$ 1,5 milhão por ele. Passavam o telefone para um suposto escritório em São Paulo. Faziam uma ciranda para iludir a pessoa. E a vítima tinha que ajustar taxas, imposto de renda, realizavam diversas cobranças neste processo antes da suposta venda”, conta Cipriano.

Uma das vítimas chegou a perder R$ 3 milhões, segundo o delegado. O investigador ressalta que o grupo agia com sofisticação para convencer as vítimas.”Quando a pessoa ficava desconfiada, eles alugavam um espaço em hotel para um encontro presencial, já mandaram carro de luxo para buscar a vítima”, detalha o delegado.

Os investigadores estimam que a quadrinha tenha extorquido R$ 6 milhões no âmbito deste inquérito. Os crimes investigados no caso são praticados pelo menos desde 2011 e atingiram vítimas no Espírito Santo e Minas Gerais, além do Rio de Janeiro. As invetsigações começaram há oito meses.