Turista de Petrópolis que foi baleado em Cabo Frio segue em estado grave em hospital, “policia faz buscas para localizar criminosos”

93

Um rapaz de 24 anos foi baleado quando caminhava com a namorada, irmãos e primos na orla da Praia do Peró, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. O caso aconteceu no último domingo. O estudante e motoboy Carlos Manoel da Paz Farroco foi atingido por três disparos e está internado em estado grave no Hospital São José Operário, naquele município.

– No momento em que tudo aconteceu havia sete pessoas. Cinco na calçada e duas na areia. Na calçada estávamos eu, a Vitoria, namorada do Carlos, nossa irmã e dois primos. Na areia estavam um primo nosso e meu irmão – contou Vinícius Farroco.

Carlos e a família são moradores de Petrópolis, na Região Serrana, e decidiram passar o fim de semana em Cabo Frio. Por volta das 21h do domingo, rapaz e as pessoas que estavam com ele foram rendidas por bandidos.

– No momento da abordagem veio um rapaz de casaco, boné e máscara, mostrando a arma para a gente. Só que na hora ninguém acreditou naquilo. Como do nada chegou um cara e ainda com um revólver na mão? Achamos que era uma brincadeira – disse Vinícius.

Logo em seguida, o homem se aproximou e anunciou o roubo, relatou o jovem:

– Quando chegou mais próximo, tentando agredir (as pessoas), empurrando, a gente nem reagiu. Nisso, ele gritou por um outro rapaz, que apareceu também. Esse outro rapaz não tinha arma. Ele mandou esse rapaz revistar a gente, ver se tínhamos alguma arma.

Bandido atirou seis vezes

Depois da revista, os criminosos pediram o telefone de uma prima de Vinícius e logo em seguida o que estava desarmado pulou na areia e agrediu seu cunhado.

– Nisso, ele olhou para dois telefones e uma caixa de som que estavam numa rampa de madeira. Meu irmão, sem entender nada, partiu para cima dele. Aí ele gritou pelo comparsa, que estava armado. Meu irmão parou com a agressão. A gente falou que não precisava atirar, que podia levar tudo – disse o jovem.

O bandido, então, deu um tiro na direção de Carlos, mas errou. Logo em seguida fez mais um disparo, que atingiu o estudante de raspão na cabeça e na terceira vez acertou o pescoço dele. A bala permanece alojada.

– Eu pulei na areia. E ele fez mais um disparo, que não atingiu ninguém. Depois disso, num piscar de olhos, ele deu mais um tiro no meu irmão, que acertou na barriga e saiu nas costas. Eles pegaram a caixa de som e saíram correndo. Viraram a arma para trás e deram mais um tiro, acho que para assustar a gente – contou Vinícius.

A Polícia Civil informou, em nota, que vítimas do assalto que estavam com Carlos e também testemunhas já foram ouvidas por policiais da 126ª DP (Cabo Frio). A corporação destacou ainda que agentes tentam localizar imagens de câmeras que ajudem a elucidar o crime.