Covardia | Funcionária da Saúde de Cabo Frio pega Covid-19 no trabalho e é demitida

121

Por: Juarez Volotão

Atuando na linha de frente no combate a pandemia do coronavírus há 4 meses, a jovem Milena de Souza Carvalho de 25 anos, mãe de 2 filhos, uma menina de 7 anos e um menino de 3, moradora do bairro Recanto das Dunas, trabalhava como recepcionista do Hospital Unilagos no município de Cabo Frio até ser contaminada pela Covid-19 e covardemente demitida por telefone, enquanto estava internada.  

Funcionária da Saúde de Cabo Frio pega Covid-19 e é demitida – Milena Carvalho

funcionária da Saúde demitida enquanto estava doente, que sobrevivia apenas com a renda do seu trabalho na Prefeitura de Cabo Frio e com esse dinheiro sustentava sua casa e seus filhos, após peregrinar 8 dias com suspeita da doença, deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Burle no dia 11 de agosto, conseguindo fazer o teste Swab Nasal, confirmando o vírus, quando no dia 13 de agosto, com muito custo, fez uma tomografia no HCE, indo direto para o Hospital Unilagos, tido como referência em tratamento da Covid-19 no município, porém envolvido em supostos esquemas de corrupção como falta de transparência com o dinheiro público e receber verba federal estando fechado, permaneceu vários dias internada no oxigênio, por estar com muita falta de ar, febre, dores por todo corpo e tosse. ‘Lá realizei novamente o teste e o exame de sangue. No meu exame de sangue, além da Covid-19, também mostrou uma outra infecção, mas mesmo assim, contaminada e com atestado médico fui demitida pelo Prefeito. Fui informada da minha demissão por telefone. Fiquei em choque, sem saber o que falar ou fazer, porque estava com o cateter de oxigênio, internada’, revela Milena Carvalho, ainda abalada com a situação. 

Funcionária da Saúde de Cabo Frio pega Covid-19 e é demitida – Milena Carvaho

A funcionária pública da Saúde de Cabo Frio foi demitida naquela leva de demissões em massa dos cargos comissionados, que segundo declarou Dr. Adriano, Prefeito da cidade, em decreto municipal, seriam para enxugamento da folha e adequação a nova realidade econômica e financeira, alegando quedas na arrecadação dos royalties e efeitos da pandemia. ‘Fui até a Secretaria de Saúde quando tive alta e estava melhor, para tentar resolver e entender a minha situação, mas não consegui resolver nada. Disseram que iriam me ligar e até hoje nada. Me sinto péssima, perdida, desesperada, sem saber o que fazer. Tenho contas para pagar, remédios para comprar e filhos para sustentar. Postei nas minhas mídias sociais, que teve centenas de compartilhamentos e ninguém da Secretaria se manifestou’, desabafa com Exclusividade para o site.

Procurada, a Prefeitura Municipal de Cabo Frio não respondeu aos nossos questionamentos.