Australiano que sequestrou o filho na Argentina é detido em São Pedro da Aldeia

67

Rafael Mills está desaparecido desde 25 de agosto, quando sua mãe o deixou na casa de seu pai. Desde aquele dia não se sabe o que aconteceu com ele. Mark foi detido no Brasil na Região dos Lagos do Rio

Mark Edwarf Mills de 45 anos foi detido na noite de domingo (06),em São Pedro da Aldeia, ele estava foragido da polícia Argentina após sequestrar seu filho Rafael Mills de 4 anos, a abordagem foi na RJ-140 após os policiais abordarem um veículo que estava em atitude suspeita na rodovia.

A polícia Argentina suspeitava que Mark, estava foragido com a criança para o México, pois o seu IP estava dando localização de lá, mas o mesmo estava no Brasil.

Mark fugiu para Região dos Lagos e se escondia em um apartamento na Praia do Forte em Cabo Frio, o sequestro aconteceu no dia 25 de agosto de 2020.

O Australiano foi levado para 125ª DP de São Pedro da Aldeia, juntamente com seu filho.

O consulado foi acionado, e a mãe de Rafael já está ciente dos fatos é chegar ao Brasil nesta segunda – feira (07), para buscar seu filho que está sequestrado a 15 dias pelo pai.

Mark será levado pelo consulado para Argentina onde responderá pelo crime.

Entenda o caso

A Polícia Municipal está à procura de Rafael Mills, um menino de quatro anos que está desaparecido desde 25 de agosto. Sua mãe, Lorena, denunciou no tribunal que ele foi sequestrado por seu pai, Mark Edwarf Mills, seu ex-companheiro, um cidadão australiano de 42 anos, que ele já havia acusado em outras ocasiões de violência de gênero.

Segundo fontes do caso, no dia 25 de agosto Lorena foi à casa de Mills, em Palermo. Há poucos dias, o homem havia chegado do México, último lugar onde haviam vivido como um casal, e queria ver o menino porque ele ia ficar no campo por algumas semanas, conforme lhe disseram. Lorena pegou.

Quando o deixou com ele, Mills disse que iria levar Rafeal para comer fora e então, às 21h, buscá-lo lá. Em poucas horas, Lorena recebeu uma mensagem de Mills. Ele disse a ela que ia passar a noite com o menino na casa de um amigo seu, fique calmo.

Até dois dias depois, Lorena recebeu a última ligação. “Saí do país com o Rafael”, disse e cortou. A mulher foi imediatamente à Justiça para fazer a denúncia.

O caso foi levado ao Tribunal Penal e Correcional nº 47, a cargo da Juíza Paula González em conjunto com o Secretário nº 136 de Juan Pablo Strifezza.

As primeiras providências que tomaram foram solicitar o contato telefônico de onde ele havia recebido a ligação e o endereço do suposto amigo onde passaram a noite.

Assim, a Divisão de Minorias da Polícia Municipal abordou a casa do suposto amigo de Mills na Avenida Rivadavia no número 5500. Lá, o gerente disse que não estava e deu seu número de telefone. Quando eles se contataram, o homem disse-lhes que não via seu amigo há vários anos.

Em seguida, cruzaram as informações com os registros de Migração, e os pesquisadores descobriram que a última entrada registrada no país pelo menor foi no dia 30 de maio, quando ele chegou com sua mãe do México. Enquanto isso, a última entrada de Mills é em 2017, então a principal hipótese é que o australiano teria entrado ilegalmente no país.

Por outro lado, como revelaram ao Infobae, ao verificar as câmeras de segurança das lojas vizinhas à casa de Mills, o homem é visto entrando em um táxi com seu filho. No entanto, os investigadores não puderam verificar a marca ou modelo do veículo.

Diante dessa situação, os detetives conseguiram identificar que o IP da linha de comunicação de Mills se localizava no México, último lugar onde viviam como casal. Por isso, suspeita-se que o homem sequestrou a criança e fugiu ilegalmente. Enquanto isso, Lorena não sabe mais o que fazer.