Delegado tentou obstruir investigação de operação que mira Pedro Fernandes e Cristiane Brasil

51

O delegado da Polícia Civil do Rio Mario Jamil Chadud tentou obstruir a investigação criminal da Operação Catarata II, deflagrada nesta sexta-feira. Ele e seu filho, o empresário Flavio Salomão Chadud, estão entre os cinco alvos de mandado de prisão preventiva cumpridos pelo Ministério Público do Rio com a corregedoria da Polícia Civil.

O secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes, foi preso em casa e a ex-secretária municipal de Envelhecimento Saudável do Rio Cristiane Brasil está com mandado de prisão em aberto no âmbito da investigação. Às 9h30 apenas o mandado contra Cristiane Brasil estava pendente.

Segundo a denúncia do Ministério Público, o delegado Mario Jamil Chadud  dirigiu-se à sede da empresa Servlog Rio, do seu filho Flavio e da nora Marcelle Chadud, no Shopping Downtown, na Barra, para retirar uma série de documentos, computadores, dinheiro em espécie, para obstruir a investigação criminal relacionada com a organização criminosa durante a 1ª fase da Operação Catarata.

As investigações tiveram início no ano de 2019, na Controladoria Geral do Estado-CGE, que detectou a ocorrência de fraudes em quatro Pregões Eletrônicos, ocorridos nos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018 na Fundação Estadual Leão XIII, vencidos fraudulentamente pela Servlog Rio para execução do projeto social assistencial “Novo Olhar”, visando oferecer consultas oftalmológicas e distribuição de óculos para população de baixa renda.

As investigações passaram a ser conduzidas pelo Departamento Geral deCombate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro da PCERJ e pela 24ª Promotoria de
Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos (MPRJ), resultando, no dia 30de julho de 2019, na deflagração da 1ª fase da operação Catarata -Fase I, em que foramcumpridos diversos mandados judiciais de busca e apreensão e de prisão temporária.