Vaga de João Peixoto é disputada com polêmica, o partido Democracia Cristã quer que filho de um funcionário fantasma da Alerj assuma

60

Eurico Júnior (PSC), primeiro suplente de João Peixoto (DC), mudou de partido e tem problemas com a Justiça Eleitoral.

A morte do deputado estadual João Peixoto (DC) por Covid-19 na última quarta-feira (30) abriu uma disputa por sua vaga na Alerj. (leia mais abaixo)

Eurico Júnior (PSC), primeiro suplente, mudou de partido e tem problemas com a Justiça Eleitoral. O Democracia Cristã quer que o segundo suplente, Rafael do Gordo, assuma. E ele é filho de um funcionário fantasma da Alerj.

Júnior era do PV, que fazia parte da coligação de João Peixoto nas eleições de 2018, mas mudou de partido, para o PSC. Agora, o DC afirma que é o dono da vaga e quer empossar Rafael do Gordo.

A convocação de Júnior foi publicada neste sábado (3) no Diário Oficial. Ele é candidato a prefeito de Vassouras pelo PSC.

O político é alvo de um processo movido pelo Ministério Público Eleitoral, que pede a impugnação da candidatura, porque ele já foi condenado por improbidade administrativa quando era prefeito da cidade e teve os direitos políticos suspensos por cinco anos.

Filho de funcionário fantasma

O Democracia Cristã age para que a vaga de Peixoto seja ocupada por Rafael do Gordo. O parlamentar é figura conhecida da política fluminense.

Já foi deputado estadual e é filho do vereador de São Gonçalo Eduardo Gordo (DEM). Em outubro do ano passado, o RJ1 mostrou que Eduardo Gordo é funcionário fantasma da Alerj.

Ele continua lotado no departamento de Segurança da casa. E continua sem aparecer para trabalhar no Palácio onde o partido quer que o filho ocupe uma vaga de deputado.