Anvisa libera compra de 6 milhões de doses da CoronaVac

Compartilhar

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou nesta sexta-feira (23) a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac, vacina chinesa que deverá ser produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo. As dose terão que ficar reservadas, já que o produto ainda não tem registro no país e não pode ser utilizado na população. A solicitação de importação foi feita em caráter excepcional pelo Butantan, órgão do governo de São Paulo.

Apesar da liberação, a autorização definiu algumas condições. A importação da vacina na forma de um produto intermediário, isto é, o produto não envasado, o processo segue em tratamento e aguardando informações. Caso o Instituto Butantan consiga solucionar as pendências apontadas no processo da excepcionalidade, que estão em acompanhamento pela Anvisa e pelo Instituto Butantan, a Agência executará os trâmites para decisão dentro da maior agilidade possível.

Os testes da CoronaVac já foram liberados pela Anvisa. A testagem está no estágio 3 — identificado como estudo clínico de eficácia, mas que não permite o registro do imunizante no Brasil. O grupo de voluntários é formado exclusivamente por profissionais de saúde. Até agora, 15 mil vacinações foram aplicadas em nove mil voluntários. Cada voluntário recebe duas doses.

A liberação ocorre em um momento de atrito entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria. Na última terça-feira, o Ministro da Saúde anunciou a negociação para adquirir as 46 milhões de doses. Depois, Bolsonaro mandou cancelar a compra e o ministério afirmou que “não há intenção de compra” e substituiu comunicado no site.

Comentários