Vereador Vanderlei Bento se manifesta nas redes sociais sobre a prisão do seu Pai e Irmão em Cabo Frio

Compartilhar

O vereador Vanderlei Bento se manifestou nas suas redes sociais na tarde de sexta – feira (24), após o lamentável episodiou que aconteceu com sua família, onde seu pai Ex deputado estadual Silas Bento e o irmão Vanderson Bento forma presos pelo MP, por suspeita de rachadinha da ALERJ.

Vanderlei e toda sua família estão muitos abalados com essa situação, tudo indica que essa perseguição foi fruto de uma politicagem suja e barata para poder denigrir a imagem da família durante o período eleitoral.

Vanderson é o vereador que está disparado nas pesquisas, onde sempre aparece em primeiro lugar.

Em sua rede social Vanderlei disse:

Não quero entrar em mérito político pois hoje tenho um Pai E um irmão longe de mim, quem nos conhece sabe o quanto trabalhamos e somos unidos, política é um detalhe pois se meu pai fosse mestre de obra ali estaria para ajudá-lo, somos assim, torcemos e lutamos um pelo outro!

Todos sabem como está a campanha do meu irmão e “alguém precisava frear isso” e foi feito na véspera das eleições

Peço só que deem a oportunidade de defesa, sou político, mas quando ganhei eleição não me desnudei da minha humanidade nem de sentimentos, continuo sendo filho, irmão e também uma pessoa sujeito a lágrimas.

Que seja feita a justiça doa a quem doer, mas não condenem sem conhecer os fatos uma condenação midiática para desconstrução de imagem.

Entenda o Casos

Silas é o primeiro político preso acusado de participar de um esquema de “rachadinha”. Esta investigação não teve como base o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financerias (Coaf), que originou procedimentos de investigação por causa de supostas rachadinhas de outros parlamentares da Alerj, como o caso do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

De acordo com a denúncia do MP, aceita pela Justiça, Silas Bento embolsou a maior parte do salário de uma servidora por dois anos. Ele se tornou réu por associação criminosapeculatoextorsão e lavagem de dinheiro. Vanderson, que é candidato a vereador, virou réu pelos mesmos crimes, exceto lavagem de dinheiro.

O advogado de Silas e Vanderson, Adolpho Jabour, informou que assim que tiver acesso aos autos, vai se posicionar e tentar a reversão da prisão preventiva.

Funcionária fantasma devolveu 80% do salário

A investigação aponta que a funcionária Taíssa Saldanha Alves, que admitiu ser fantasma – ou seja, não aparecia para trabalhar – era obrigada a devolver parte do salário e era ameaçada na hora da arrecadação, que era feita pelo filho do parlamentar.

Em dois anos, ela disse que recebeu cerca de R$ 250 mil de salário, pagos pelos cofres da Alerj. A investigação revelou que, deste montante, 80% foi devolvido ao então deputado no esquema de rachadinha.

Agentes do Ministério Público chegam ao apartamento de Silas Bento em Cabo Frio, RJ, na manhã desta sexta-feira (23) — Foto: Paulo Veiga/Inter TV
Agentes do Ministério Público chegam ao apartamento de Silas Bento em Cabo Frio, RJ, na manhã desta sexta-feira (23)

A servidora também é alvo de mandado de busca e apreensão na operação desta sexta-feira. Ela também é ré por associação criminosa e peculato, que é desvio de dinheiro público.

A Vara Criminal determinou que ela compareça mensalmente ao juízo para informar suas atividades, não mantenha contato com Silas e Vanderson, e não se ausente de Cabo Frio por mais de 10 dias.

Comentários