Colunista Lorena Serpa | Gratuito

Compartilhar

Quantas vezes você ouviu alguma dessas frases:

“se é de graça tem alguma coisa errada” “para ser de graça, certamente não é bom”.

É muito possível que eu e você além de ouvir, também já nos pegamos pensando dessa forma.

Está inseridos em nós “afirmativas” que nos levam a questionar a gratuidade como algo de pouco valor. Temos a tendência em pensar que aquilo que tem um valor muito alto certamente possui uma qualidade grande demais.

Essa semana participava de uma conversa, em que questionávamos o seguinte exemplo: um curso de alta qualidade estava sendo oferecido de forma gratuita para pessoas que se encontravam desempregadas e por essa situação, não possuíam recursos para estarem pagando algum curso de aperfeiçoamento. Por ser um curso gratuito, muitas pessoas se inscrevem, mas poucos se apresentaram para as aulas. Fazendo um comparativo: o mesmo curso, com os mesmos professores, as mesmas metodologias e no mesmo local foi oferecido por um valor bem alto, ocorreram procuram medianas, mas aqueles que se inscreveram, todos compareceram. O que nos levou a seguinte pergunta: Qual a diferente entre o pago e o gratuito?

A diferença estava na forma das pessoas olharem, uma vez que há uma tendência de se “valorizar” apenas aquilo que traz valor monetário mais elevado.

Diante desse quadro fico a pensar sobre o amor. Ele é um sentimento que nasce, ele acontece. O amor não pode ser comprado. É impossível conseguir comprar o amor de uma pessoa. O amor é gratuito.

Seria o amor sem qualidade pelo fato de ser gratuito e você não poder comprá-lo? Seria a pessoa que lhe oferece amor, sem “qualidade” por assim estar lhe entregando?

Curiosamente o bem mais valioso dessa Terra é o amor e ele é gratuito!

Muitos até tentam comprar o amor, mas em vão gastam sua fortuna, pois ele não se compra, ele simplesmente bate a porta esperando você abrir para assim entrar e simplesmente transformar toda a sua forma de enxergar a vida.

O amor é a coisa mais fascinante e mais fantástica dessa vida, ele é a coisa mais esperada e ao mesmo tempo a mais incompreensível.

Recordo-me de estar passando em frente a um lixão, a aproximadamente 1 ano, lugar feio, fedorento, “sem vida”, mas naquele lugar teve algo que chamou minha atenção, que saltou aos meus olhos: uma linda flor amarela, cheia de vida, brilho, com uma cor fascinante, bem ali no meio do lixo, sem nenhum valor e ao mesmo tempo totalmente cheia de valor! Paradoxo? Talvez, vai depender da forma a qual você enxerga o mundo.

É preciso que eu e você, tenhamos um olhar diferente e mais ampliado sobre o valorizar aquilo que é gratuito, o qual traz consigo valores inegociáveis e uma essência sem igual.

Na simplicidade há uma diversidade de qualidade, pode não ter um status de “vanglória”, mas é certo que traz consigo uma profundidade de verdades.

Mude o foco! Transforme seu olhar! Mude sua mente! Valorize aquilo que é gratuito, valorize o simples e valorize o que é real!

Lorena Serpa

Pedagoga

Especialista em MBA Gestão Empresarial

Estudante de Psicopedagogia Clínica e

Psicologia Social

Comentários