Aliada da família Cozzolino é morta com 14 tiros, menos de 12 horas após acusar vereador de ameaça na Baixada Fluminense

218

Uma mulher, identificada como Renata Castro, 38 anos, foi executada com pelo menos 14 tiros na porta de casa, na manhã desta sexta-feira na Rua Florêncio Vidal, no bairro Fragoso, em Magé, na Baixada Fluminense. De acordo com as primeiras informações, ela era conhecida por publicar vídeos em suas redes sociais denunciando e criticando a situação da cidade. A vítima era simpatizante da família Cozzolino, que esteve no comando da Prefeitura de Magé em diferentes mandatos.

Em um áudio que circula nas redes sociais, Renata diz irá fazer uma fiscalização no Hospital de Magé, já que é um direito dela como cidadã. Além disso, ela avisa quem tiver disposição para matá-la 30 dias antes da eleição, que o faça.

“Amanhã é uma grande oportunidade para vocês me assassinarem. Quem tiver essa disposição para fazer o assassinato da Renata Castro 30 dias antes da eleição, como fizeram com o P9, como fizeram na Câmara dos Vereadores (…)”. Logo após, ela chama os atuais governantes de “corja de vagabundo, inoperante e irresponsável”.

A vítima deixa dois filhos. Hoje, inclusive, era aniversário de um deles. Há seis horas, a aliada da família Cozzolino fez uma publicação para celebrar a data. “Hoje é um dia muito especial e cheio de felicidade! Desejo que a cada manhã Jesus abençoe seus passos e coloque um colorido especial no seu sorriso tão lindo”, dizia a mensagem.

Ainda não há informações sobre quem teria praticado o crime, nem a data e local de enterro de Renata. A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) informou que está investigando o caso. “A unidade está trocando informações com a 65 DP (Magé), delegacia da área onde ocorreu o crime, para levantar informações que possam auxiliar na identificação da autoria do crime. Os agentes realizam diligências no momento.”