Eleição nos EUA | Biden está perto da vitória, mas Trump ainda pode virar

40

Os Estados Unidos amanhecem nesta quinta-feira com a esperança de que o novo presidente do país seja conhecido nas próximas horas, com o avanço da apuração nos estados de Pensilvânia, Arizona, Carolina do Norte, Geórgia e Nevada.

Na quarta-feira, a campanha de Donald Trump anunciou ter entrado com ações judiciais para suspender a contagem em Michigan e Pensilvânia, estados-decisivos do Meio-Oeste. A campanha também disse ter pedido recontagem em Wisconsin e entrado com uma ação na Geórgia.

Até o início desta manhã, as projeções do resultado feitas pela imprensa americana apresentavam divergências: enquanto a agência AP, a Fox e a AFP consideravam que Biden venceu no Arizona, o que lhe daria 264 delegados no Colégio Eleitoral, contra 214 de Trump, a CNN e o New York Times consideravam que ainda é cedo para cravar a vitória do democrata no estado. Nesse caso, ele teria 253 votos assegurados, e Trump 214. Para vencer, são necessários 270.

Diante da disputa acirrada, o presidente Donald Trump pôs os Estados Unidos em risco de crise institucional na madrugada de quarta-feira, após um pronunciamento em que se proclamou vencedor e disse que vai à Suprema Corte para parar a contagem dos votos enviados pelo correio, sugerindo que as pessoas estariam votando depois do prazo, o que não é verdade.

A campanha de Biden chamou a atitude do presidente de “ultrajante”. O ex-vice-presidente, por sua vez, disse que estava no caminho da vitória e que era preciso esperar a contagem de todos os votos. Mais tarde, em um pronunciamento, afirmou estar confiante em sua vitória e unir os americanos.

Vantagem na Geórgia cai para 18,5 mil votos

A Geórgia continua a sua apuração, e, faltando 4% das urnas serem apuradas, a vantagem de Donald Trump continua a cair. No momento, o republicano lidera por 18,5 mil votos. O FiveThirtyEight, na noite de quarta-feira, apontava que Biden tem 58% de chance de virar, o que significa que o resultado será apertado.

Às 2h da manhã, a vantagem de Trump era de 30 mil votos, diferença que demonstra a proximidade da corrida. O condado de Fulton, o mais populoso e lar de Atlanta, onde os democratas são populares, deverá terminar sua contagem ainda nesta manhã.

Há ainda uma contagem aberta na Pensilvânia, onde a vantagem de Trump caiu para 160 mil votos, faltando cerca de 750 mil cédulas para serem contadas. A apuração deverá continuar nesta manhã.

O Arizona continua sua contagem, com a vantagem de Biden diminuindo, e um resultado deverá ser conhecido ainda hoje. Em Nevada, resultados atualizados serão divulgados por volta das 14h.

Funcionários do departamento eleitoral do condado de Maricopa, a segunda maior jurisdição do estado, disseram que continuarão a contagem ao longo da noite. Uma nova leva de resultados será divulgada durante na noite desta quinta, segundo as autoridades.

Dúvidas sobre o Arizona

O Arizona — que muitos meios de comunicação, como as agências Associated Press e France-Presse e o canal Fox News, consideraram já conquistado por Joe Biden — pode ter um encerramento de contagem apertado, após Donald Trump reduzir a sua desvantagem.

O republicano recebeu 43.966 no condado de Maricopa, onde fica a cidade de Phoenix, enquanto 30.322 foram para Biden. Com isso, a vantagem do democrata caiu para 79 mil votos, e calcula-se que ainda há 400 mil para serem contados. Trump precisa ter uma superioridade de 20 pontos percentuais nas urnas restantes. Em Maricopa, 59% dos votos foram para Trump e 41% para Biden, uma vantagem de 18% — insuficiente, portanto, para a virada, mas por muito pouco.

Segundo o estatístico Nate Cohn, do New York Times, “é difícil determinar exatamente para onde estamos nos dirigindo no Arizona. Ambos dependem de quantas cédulas faltam e de que tipo de cédulas, e isto não é exatamente claro. A lição mais importante aqui: a conclusão da contagem da Pensilvânia é o caminho para um desfecho rápido”.