Colunista Lorena Serpa | Valor

Compartilhar

Certamente muitos de nós já ouviu esse tipo de afirmativa:

“as pessoas somente reconhecem o valor de alguém quando se perde.”

Existe muita verdade nessa afirmativa, principalmente num período onde tudo se tornou descartável e as pessoas…, bom, muitas estão sendo substituídas pelo virtual e quando não é isso, muitas se cansam de viverem em busca de serem vistas e amadas por quem elas são e todos os seus esforços. Mas, também há uma outra verdade pouco percebida e pouco apresentada. Há pessoas que valorizam sim aquelas que caminham lado a lado, que escolhem ficar mesmo sendo apresentando a “bagunça” de suas vidas, todas as incertezas e medos, que se alegram com as conquistas, que choram juntas na dor e jamais deixam de se fazer presentes, mesmo não estando fisicamente ali. Essas pessoas, talvez por uma periodicidade possam se ausentar e deixar aquele rastro de saudade, deixando lembranças que surgem muitas vezes naqueles dias mais cinzas e arrancando aquele sorriso bobo.

Ainda que a gente esteja numa sociedade tão perdida e que a cada dia vem perdendo a sua capacidade de amar, ainda existem pessoas mesmo sendo raras que fazem toda diferença em nossas vidas. Podemos dizer que são como rosas azuis. Pela sua singularidade e raridade em encontrá-las, mas ainda assim elas existem.

Esse tipo de pessoa ao se ausentar por algum intempérie da vida faz que a gente conte o tempo para tê-la novamente, porque a sensação que fica é que está faltando alguém naquele lugar, onde somente o molde lhe pertence para preencher e quando temos o presente em ter pessoas assim de volta ai podemos afirmar que o valor pela presença é ainda muito melhor do que as lembranças de saudade e o valor por se ter é imensuravelmente maior, porque sentir, tocar, olhar e poder enxergar é um privilégio para poucos que hoje não entendem ou não sabem o valor do que é real e essencial.

Talvez você pense que se refira a uma relação amorosa essas linhas, mas o amor vai muito além disso, o amor é muito mais do que um ato sexual e de prazeres corporais, o amor ele rompe barreiras e o espaço de tempo, ele rompe os medos e as incertezas da alma, o amor enxerga o que está dentro e não o que é apresentado artificialmente, o amor fica quando todos vão embora, o amor traz a essência em uma profundidade dentro da simplicidade, ele pode parecer complexo, mas é absolutamente simples, basta você simplesmente permitir e sentir.

Mas do que valorizar ao se perder, é valorizar por se ter. Não é viver de lembranças, muito menos amar as lembranças, mas viver pelo que se é e lembrar do agora, que é um presente e um privilégio em se ter.

Olhar nos olhos e enxergar o que poucos conseguem ver.

A vida não é um status social e virtual, ela simplesmente é, coisas boas estão acontecendo o tempo todo, mas, inúmeras vezes nós não nos damos conta porque ficamos presos as lembranças do passado, não enxergando a plenitude do presente que literalmente é um presente!

E ai…., quais valores precisam ser enxergados hoje por você?

Lorena Serpa

Pedagoga

Especialista em MBA Gestão Empresarial

Estudante de Psicologia Clínica e

Psicologia Social

Comentários