Operação em nome da mãe prende mais de 20 agressores de mulheres no Estado do Rio

61

Um dos presos na operação desta quarta-feira (9), realizada contra suspeitos de violência doméstica, é apontado como autor de dois estupros na pacata Ilha de Paquetá. A informação é da delegada Ornellas, diretora do Departamento Geral de Polícia de Atendimento à Mulher (DGPAM), afirmando que o homem foi localizado em Maricá, na Região Metropolitana do Rio. A operação “Em nome da mãe”, resultou na prisão de 23 foragidos. 

Cristiano Santos, de 49 anos, ainda é acusado de matar um policial militar em 2005. Ele estava foragido há mais de um ano.  

Segundo a própria delegada, outro preso é investigado em oito inquéritos dentro da polícia. Ele é acusado de agredir três mulheres. O homem foi encontrado em um bar na cidade de São Gonçalo. Segundo a polícia, ele morava em uma comunidade controlada pelo tráfico e estava sendo monitorado. 

“A mulher precisa entender que ela é a vítima. Ela não pode se sentir culpada de nada. É importante que a mulher saiba que existe a lei”, explica a delegada. 

A ação teve o objetivo cumprir mandados de prisão contra autores de crimes praticando contra a mulher. O nome dado a operação tem como finalidade alertar para as diversas formas de violência sofrida por mulheres. 

A maioria dos presos estava em débito com a pensão alimentícia. 

“É uma prisão não penal, mais que precisa ser cumprida. Há um número enorme de débitos de pensão alimentícia. Isso revela a irresponsabilidade dos pais com relação aos filhos. Isso representa uma violência estrutural contra a mulher”, frisa a delegada.