Empresários são acusados de lavar mais de R$ 222 milhões da maior facção criminosa do Estado do Rio

42

Pelo menos 30 empresários estão sendo investigados por suspeita de lavarem dinheiro do tráfico de drogas da maior facção criminosa do Estado do Rio. Em pouco menos de um ano, mais de R$ 222 milhões foram lavados, segundo investigações da Polícia Civil.

Na manhã desta sexta-feira, sete pessoas foram presas na fase 4 da operação Shark Attack, realizada pelo Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC) e pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público.

Os investigadores estiveram em cidades do Rio, São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul para cumprir 29 mandados de prisão contra empresários e outros envolvidos em um sofisticado esquema de lavagem de dinheiro de organizações criminosas que atuam no Rio de Janeiro.