Idosa de 88 anos chega em casa cheia de feridas e família acusa hospital de negligência; em Campos dos Goytacazes imagens fortes

0

A família de Eodete Felippe Abbas, de 88 anos, acusa o Hospital São José, em Campos dos Goytacazes, de negligência após a idosa chegar em casa cheia de escaras. De acordo com uma sobrinha de Eodete, a idosa deu entrada na unidade com febre e dores no dia 16 de dezembro. Após testar negativo para a Covid-19, Eodete foi diagnosticada com infecção urinária e foi internada.

“Ela estava super bem, com duas cuidadoras que tomam conta dela. Quando vi o estado que ela chegou em casa fiquei horrorizada”, diz a sobrinha de Eodete, Lília Felippe.

Lília vive em Miami, nos Estados Unidos, mas conta que acompanha a rotina da tia mesmo de longe. As fotos que mostram escaras profundas de Eodete foram enviadas para Lília por uma das cuidadoras da idosa.

“Ela não foi para o hospital daquele jeito. Como que mandam uma idosa nesse estado de volta para casa?”, questiona a cuidadora.

Eodete ficou internada na unidade hospitalar até o dia 28 de dezembro acompanhada de outra cuidadora. De acordo com a profissional, os machucados profundos foram ocasionados por uma junção de fatores.

“Dona Eodete ficou deitada em uma maca dura todos os dias de internação, com um colchão fininho. Além disso, os curativos eram feitos de dois em dois dias e a gente sabe que uma pessoa acamada precisa que essa troca seja feita todo dia”, conta a cuidadora acompanhante, que acrescenta “O médico só aparecia se a gente fosse lá pedir que ele fosse ver como ela tava“.

Apesar de ter recebido alta, de acordo com a família, além de estar com sérios machucados, Eodete segue apresentando os sintomas da infecção.

“Ela foi parar no hospital com infecção urinária, voltou com a mesma infecção e dessa forma! Foi liberada sem nenhum prontuário e a infecção não melhora”.

“Antes minha tia andava e agora não consegue mais levantar nem para tomar banho”, conta Lília.

O caso foi denunciado por Lília, no último domingo (3), à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que deu prazo de 15 dias para enviar um parecer sobre a denúncia.

Comentários