Vereadora mais votada de Nova Friburgo registra ocorrência contra injúria racial

229

A vereadora Maiara Felício (PT), mais votada nas últimas eleições em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, registrou na tarde desta terça-feira (9) uma ocorrência na Delegacia da Mulher de injúria racial e difamação.

Segundo a parlamentar, que é negra, os ataques foram feitos em uma rede social após a vereadora se posicionar contra a retomada das aulas presenciais na cidade.

Em um dos comentários, um usuário a chamou de “negrinha”, e em seguida a mandou tomar banho.

Uma outra pessoa respondeu ao comentário ofensivo, em defesa da vereadora: “é lamentável! É nojento como a senhora se refere a vereadora mais votada de Nova Friburgo […] ela é mais do que capaz de assumir este cargo, foi com muita luta que ela chegou até ele”, diz o comentário.

Em uma postagem, a vereadora fez um breve comentário: “Internet não é terra de ninguém”.

Após o registro na delegacia, a vereadora Maiara Felício disse que registrou a ocorrência para fazer valer os direitos dela e daqueles que se sentem representados por ela.

“Eu vejo e vivo isso na minha vida desde sempre, sofrendo injúria racial, ofensa, calúnia, difamação. Não é nenhuma novidade na minha vida. Só que agora eu ocupo um lugar público e as pessoas olham pra mim, muitas das vezes como uma referência. Eu estou do lado dessas pessoas, assim como elas também estão do meu lado. Que faça se valer o nosso direito e a nossa segurança”, disse Maiara.

Segundo a DEAM de Nova Friburgo, o caso foi registrado como injúria racial e as investigações estão em andamento.

A Câmara de Vereadores de Nova Friburgo lamentou o ocorrido e disse que repudia veementemente qualquer tipo de conduta discriminatória seja por raça, credo, cor ou quaisquer outras formas de discriminação. O presidente da Câmara, vereador Wellington Moreira, se solidarizou com a parlamentar e se colocou à disposição para ajudar no que for necessário.

“Não cabem mais atos como este em pleno século XXI. Eles são inadmissíveis e vergonhosos para uma sociedade. Estarei em nome da Câmara e em meu próprio nome ao lado da vereadora Maiara até o final da apuração desse ato covarde. Que a justiça se faça com toda força da lei e que o caso sirva de exemplo e seja um ponto de mudança de comportamento dentro da nossa cidade”, disse o presidente da Câmara.

O Partido dos Trabalhadores (PT) emitiu uma nota lamentando os ataques sofridos pela vereadora.

“A crítica exposta pela Vereadora diz que o referido decreto não levou em conta o minucioso estudo que vinha sendo elaborado pelas entidades de educação da cidade. Maiara ressaltou que o retorno das aulas, sem uma infra estrutura adequada, aumentaria o número de contágios da Covid-19. Ela teve seu vídeo vinculado em uma página da rede social da cidade, e foi vítima de diverso comentários racistas”, diz um trecho da nota do partido.

A nota diz ainda que “Essa situação expõe o desapreço pelo espaço público democrático, pelo pensamento, pela educação pública de qualidade e pela saúde da população Friburguense, mas, sobretudo, escancara mais um vez o racismo existente em nossa sociedade”.

A Direção Estadual do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Estado do Rio de Janeiro manifestou profundo pesar pelo ocorrido e se colocou à disposição do mandato da vereadora Maiara Felício. A direção diz também que espera que os responsáveis pelos ataques sejam identificados e responsabilizados por suas ações.

No Brasil, a Lei n. 7.716/1989 tipifica o racismo como crime.

https://www.instagram.com/p/CLHgykqjz6o/?utm_source=ig_web_copy_link