Suspeito de fornecer armas para facções do Rio é preso no Paraguai

275

Uma ação conjunta da Polícia Civil do Rio com a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Paraguai prendeu Gabriel Mendes da Silva, o Turco, apontado como responsável por fornecer armas e drogas para facções que dominam o tráfico do Rio. A prisão aconteceu neste sábado em Assunção, capital do país vizinho. Na mansão onde Turco foi preso, avaliada em R$ 2,5 milhões, os agentes apreenderam uma arma, munição para pistola e fuzil, celulares e um computador.

Turco foi um dos 76 detentos que conseguiram fugir por um túnel de uma cadeia em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, em janeiro de 2020. Quando foi abordado pela polícia neste sábado, ele apresentou um documento falso e foi preso em flagrante.

Segundo a Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), que participou da ação, Turco é braço-direito do paranaense Ricardo Luiz Picolotto Pedroso da Silva, o R7, ligado à maior facção do tráfico de São Paulo. De acordo com a investigação da especializada, R7 tem negócios com Luciano Martiniano da Silva, o Pezão, chefe do tráfico do Complexo do Alemão que está foragido no Paraguai.

R7 foi alvo de uma ação simultânea na cidade de San Bernardino, a 50 quilômetros da capital. Numa outra mansão, a polícia encontrou sua mulher e seu filho recém-nascido. O traficante, que tem um mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio Grande do Sul, conseguiu fugir.

Segundo a Desarme, no Paraguai, R7 recebe armas dos EUA, de Israel, da Europa, da China e até mesmo da Austrália. Do país vizinho, ele envia esse material bélico para vários estados do Brasil. Na ação, agentes apreenderam uma planilha onde ele anota os modelos e as origens de cada arma que trafica.

Comentários