Sofredor | Vasco empata com o Corinthians e está virtualmente rebaixado

Equipe de Vanderlei Luxemburgo comete erros bobos, perde chances de gol, e se aproxima da quarta queda em sua história

121

RIO – O Vasco da Gama tentou, mas não conseguiu sair do placar de 0 a 0 contra o Corinthians na Arena em Itaquera. Mesmo precisando da vitória para evitar o rebaixamento, o Gigante da Colina não criou jogadas e dependia da velocidade de Pikachu e Talles Magno para chegar ao ataque. A melhor chance Cruzmaltina foi com um chute de Carlinhos, que passou à direita do gol de Cássio. Inclusive, o camisa 23 foi o melhor em campo, salvou duas bolas na defesa e deu o único chute do Vasco no gol. Já Germán Cano passou em branco a primeira etapa, sem mandar nenhum chute para o gol.

O primeiro tempo começou equilibrado. O Corinthians teve boa posse de bola, se apresentou mais organizado, mas só conseguiu criar pela direita, com Fagner e Gustavo Mosquito, que sentiu o joelho direito e teve de ser substituído aos 33 minutos. Fernando Miguel chegou a fazer uma defesa difícil, durante uma chegada de Fagner. O Vasco também atacou bastante pela direita, principalmente com Pikachu, mas pecou muito nas conclusões.

Na etapa final, o Corinthians continuou forçando as jogadas pelo lado direto, mesmo com as saídas de Fagner e Mosquito. O Timão dominou toda a segunda etapa. Chegando forte nas triangulações e cruzando muitas bolas na área do Vasco, principalmente quando Jô entrou no lugar de Léo Natel. O Vasco voltou mais ofensivo, cresceu em campo e aumentou a posse de bola. A busca por um gol para se manter na Série A motivou a equipe de Vanderlei Luxemburgo que empurrou o time todo para a área aos 42 minutos.

No time vascaíno, Fernando Miguel foi o grande destaque do segundo tempo. Salvou a equipe em diversos momentos. Gabriel Pereira e Michel entraram bem no jogo. O Vasco piorou o time com as entradas de Catatau e Pec, que demonstravam nervosismo e cometiam erros bobos. Juninho entrou no meio campo no lugar de Andrey e também não rendeu o esperado. As quatro substituições do Vasco deixaram o time desorganizado e com contra ataques desperdiçados.