Colunista Léo Hezer | A relação dos 47 cargos de 7,650 R$ com Maquiavel

A filosófica relação dos 47 cargos de 7,650 R$ 'Adjuntos' com Maquiavel.

158

Segue a análise do livro O Príncipe de Maquiavel.

“O príncipe que quiser manter os membros da sua equipe prestativos e leais deve, por sua vez, constantemente pensar no bem-estar deles.

Entre outras coisas, deve honrá-los, torná-los prósperos, trazê-los para seus círculos de relações e sobrecarregá-los de honrarias e cargos.

O príncipe precisa agir de tal forma para que o assessor não seja capaz de se manter sem ele. Deve agir de tal maneira que as muitas honrarias não o façam desejar outras;
para que as muitas riquezas evitem que deseje riquezas ainda maiores; e para que os laços de amizade não o façam temer conspirações e mudanças que possam prejudicá-lo.”

De acordo com este texto de Maquiavel, fica claro que a lógica da criação de novos 47 cargos que estão custando neste momento mais de 380,000,00 R$ por mês para todos os cidadãos cabofrienses, é para manter a fidelidade e a fartura de seus principais apoiadores e cabos eleitorais, para que não possam sustentar a semente de conspirações e ações contra a política do governante, ou de determinado grupo que dita o governo, então é mais fácil adormecer financeiramente um possível oponente desse grupo interno, do que deixar esse indivíduo com “ira” ou “fome”, explicam muitas tomadas de decisões e nomeações do governo municipal, e a gente pode perceber que a FOME foi tão imensa, que levou o governo municipal de Cabo Frio a criar 47 cargos de alta corte para poder adormecer a fome de nenhuma gente, fazendo o que nenhum município da região dos lagos fez após as eleições, haja teta!

“As pessoas trocam de governante pensando sempre em melhorar. Essa crença leva-as a se erguer contra seu governante atual para substituí-lo. Ao trocar de governante na tentativa de melhorar, muitas vezes, enganam-se e percebem pela experiência própria terem piorado. Alguns, pelos mais diversos motivos, não gostam do “príncipe”. Outros que o ajudam a tomar o poder o fazem por interesses próprios.

Auxiliando-o a chegar ao topo, eles próprios esperam subir pelo menos alguns degraus. Assim, são seus inimigos todos os que se julgam ofendidos com o fato de você estar ocupando o poder; e também não considere amigos os que ali o colocaram, porque você não poderá satisfazer as expectativas deles de acordo com o que eles esperavam. Você não poderá ignorá-los ou desprezá-los,
por estar comprometido com eles; e ainda que o faça, deve cuidar para não se tornar por eles odiado.”

“Um príncipe sábio, por isso, não pode apenas ocupar-se com o presente. Ele precisa ter a habilidade de prever circunstâncias futuras e, se preciso ,preveni-las com máxima perícia, de tal modo que seja fácil corrigi-las. Não deve permitir que os acontecimentos se delineiem por conta própria para depois querer corrigi-los. Quando é assim, muitas vezes, o remédio não chega a tempo, o que torna a doença incurável.”

Aqui fica muito bem claro, que muitos apoiam algum candidato ao governo com interesses pessoais, e geralmente os apoiadores mais fortes, tem acessos ou confinamento com o governante durante essa batalha eleitoral, que caso esse apoiador mude de lado, possa trazer problemas a aquele governante durante o seu reinado (mandato) então, dê se a fartura dos cargos, dê se a fartura do nepotismo, e cargos honrosos, para todos eles não causarem nenhum problema e que estejam nas mãos do governante, excitados pela vaidade e pelo dinheiro, porém muitos se esquecem que a política é um elemento passageiro, e o futuro nele é imprevisível, nublado, e que quem decide e é Soberano é a população e Deus.