Padre é preso por assalto a mão armada e ‘defesa diz que o mesmo surtou’

408

Apesar do mandamento “não roubarás”, conforme consta nas escrituras bíblicas, um padre foi preso em flagrante, nesta terça-feira, dia 2, justamente por suspeita deste ato, que também configura crime na legislação. Ele teria assaltado três estabelecimentos comerciais em Passo Fundo (RS), segundo o 3º Regimento de Polícia Montada (3º RPMon) da Brigada Militar.

Em vídeo, é possível vê-lo usando um simulacro de arma de fogo, que ele mostrou para a funcionária do caixa no momento em que faria o pagamento em uma das lojas. O Tribunal de Justiça do estado decretou sua prisão preventiva na tarde desta quarta-feira, 3.

Enquanto os trâmites correm na Polícia Civil do Rio Grande do Sul envolvendo o sacerdote Elizeu Moreira, um procedimento investigativo também será instaurado pela Arquidiocese de Passo Fundo, conforme informou o arcebispo Dom Rodolfo Luis Weber nesta quarta-feira, dia 3.

O delegado Diogo Faria, responsável pelo caso na Polícia Civil, informou que o padre havia saído de Tapejara, onde fica a paróquia em que atua, para a cidade de Passo Fundo, a 60 quilômetros de lá. O objetivo inicial dele no município foi celebrar um sepultamento. No entanto, ao sair do cemitério, ele parou num mercado para realizar o primeiro assalto. O mesmo ato foi cometido em seguida numa farmácia e, por fim, ocorreu o terceiro roubo, mas desta vez num supermercado.

— A pessoa fingiu ser um cliente, escolheu produtos foi no caixa, deu dinheiro na hora do troco, anunciou o assalto e levou o dinheiro — afirmou Faria a respeito dos três delitos.

Os crimes foram realizados num internalo aproximado de 1h. Passada mais outra hora, o padre foi localizado. Segundo as lojas roubadas, foram suprimidos, no total, R$ 2,4 mil. Com o suspeito, contudo, havia apenas cerca de R$ 600.

— Ele alegou que foi um momento de loucura — explicou o delegado.

Após a decisão judicial em manter o padre preso, o suspeito foi conduzido ao presídio, onde ficará à dispotição da Justiça.

Comentários