“Morada do Samba”, mesmo interditada, vira oficina e estaleiro em Cabo Frio

191

A Morada do Samba, que por pouco mais de uma década foi o principal palco do carnaval de Cabo Frio está interditada pelo Corpo de Bombeiros desde que um incêndio destruiu o barração da Império de Cabo Frio, mesmo assim, o local está servindo, desde o ano passado, como oficina e estaleiro de barcos.

O último Carnaval na Morada aconteceu em 2015. A Escola de Samba Em Cima da Hora conquistou o Tri-Campeonato e o Unidos do Jardim Esperança o acesso mas, desde então, as baterias silenciaram e os barracões, aos poucos, foram fechando com o fim dos investimentos no carnaval.

Sambistas lembram que, ano passado, a COMSERCAF esvaziou os barracões. Cerca de 500 kg de lixo foram retirados do local. A limpeza foi solicitada pelo então secretário de Cultura, Fernando Chagas, após vistoria realizada no dia 10 de agosto.

O governo Adriano, entretanto, de acordo com sambistas, logo depois, autorizou a utilização dos barracões pela COMSERCAF como área de transbordo para o lixo e, mais tarde, como oficina e estaleiro.

A Morada do Samba custou cerca de R$ 4 milhões de Reais aos cofres públicos e foi erguida dentro de um terreno particular. A área nunca foi desapropriada nem o proprietário, que briga na Justiça pela reintegração de posse, indenizado. Os barracões possuem 500m², sendo 20 de largura e 25 de comprimento.

Comentários