Prefeita de Juiz de Fora Margarida Salomão (PT) decreta lockdown em Juiz de Fora nessa segunda (08)

Margarida Salomão anunciou decreto que busca restrição máxima de circulação e extremo isolamento social

252

A prefeita Margarida Salomão (PT) anunciou na manhã deste domingo (7) o fechamento de todas as atividades públicas consideradas não essenciais, mantendo em funcionamento apenas aquelas que atendem às “necessidades absolutamente imprescindíveis das pessoas”.

Dessa forma, a cidade regride para a faixa roxa, a mais restritiva do programa “Juiz de Fora pela Vida”, que regulamenta as atividades econômicas e sociais no âmbito municipal.

O decreto regulamentando as restrições, publicado na tarde deste domingo no Atos do Governo,  passa a valer a partir de meia-noite (domingo para segunda) e terá validade de uma semana.

Conforme adiantou a Prefeitura, estão autorizados o funcionamento apenas de supermercados, mercearias, padarias, farmácias e implementos veterinários. O sistema bancário deverá funcionar em horário estendido e sem filas nas portas das agências. A frota de ônibus terá de circular com 100% dos carros e será proibido que passageiros trafeguem de pé. Serviços de saúde, atendimentos médicos e odontológicos estão liberados.

“A situação se agravou tanto nas últimas horas que estou sendo obrigada a tomar medidas extremas. Nesse momento, em Juiz de Fora, 100% dos leitos de UTI estão ocupados e estão exaustos também os recursos de saúde da região. A situação é tão grave que também começamos a ter uma exaustão do sistema funerário”, afirmou Margarida em comunicado feito à imprensa na manhã deste domingo.

A prefeita confirmou que pacientes estão sendo enviados a outros municípios, e que foi necessário contratar serviços de transferências devido à demanda intensa. Na sexta-feira, a prefeita já havia editado dois decretos restringindo atividades.

A prefeita garantiu, todavia, que o programa de vacinação contra a Covid-19 continuará como está, e que o Município seguirá trabalhando para abrir mais leitos de UTI. O decreto, afirmou Margarida, busca “restrição máxima de circulação e voltar ao isolamento social mais extremo”, no que considerou um momento de “rigor, de dor e de luto”.

A fiscalização das novas determinação, conforme Margarida, será rigorosa. Segundo ela, os agentes de trânsito, fiscais da Prefeitura, do Procon e a Guarda Municipal estarão nas ruas. Os serviços da Prefeitura continuarão funcionando presencialmente até o terceiro escalão. Os demais trabalhadores trabalharão de acordo com as regulações que serão emitidas por cada secretaria.