Janones rebate Guedes sobre auxílio de R$250: “A gente assina embaixo e dane-se?”

470

Polêmico e linha dura quando o assunto é defender os interesses do povo, André Janones (AVANTE-MG) se transformou na voz de milhões de brasileiros na Câmara dos Deputados e é a maior potência de engajamento social na internet.

Com tamanha autoridade dada pelo povo, se tornou comum esperar dele uma resposta mais áspera, cada vez que o governo tentar impor ao povo o pagamento de um Auxílio emergencial com um valor abaixo do que foi pago em 2020.

Nesta segunda-feira (08/03), o ministro da Economia, Paulo Guedes, “cravou” que o novo auxílio emergencial será de R$175 a R$357.

“Essa é a média (250 reais), um valor médio, porque se for uma família monoparental, dirigida por uma mulher, aí já é 375 (reais), se tiver um homem sozinho aí já é 175 (reais), se for o casal, os dois aí já são 250 (reais). Quer dizer, tem toda uma… isso é o Ministério da Cidadania, nós só fornecemos os parâmetros básicos, mas a decisão da amplitude é com o Ministério da Cidadania”, disse.

Em resposta ao que disse Guedes, Janones fez três perguntas:

“E o Congresso Nacional serve pra quê? Nós vamos só acatar e pronto? Já vem a ordem “de cima”, a gente assina embaixo e dane-se?”

A fala do parlamentar levantou a discussão sobre o que decidirá o Congresso diante disso.