Colunista Juarez Volotão | Falta responsabilidade das pessoas e bom senso da Mídia

396

O assunto da vez, infelizmente, e novamente, é o Lockdown. Como tudo no Brasil, e em Cabo Frio não foi diferente, a última experiência do fechamento total do comércio foi desastrosa, traumática e custosa, não só para os empresários que tiveram suas lojas, casas e empresas fechadas abruptamente, mas para as famílias que perderam seus empregos, passaram fome e ficaram, além das contas atrasadas, com dívidas não sanadas até o dia de hoje, bem como, para a cidade – e a Região dos Lagos que amarga o prejuízo acumulado do ano passado.

Claro que faltou responsabilidade das pessoas, que não levaram e não levam o vírus a sério, se aglomeraram e se aglomeram, fazem festas clandestinas e vivem, sem os devidos cuidados que exigem a pandemia do coronavírus, mas também falta bom senso, por parte da mídia ratazana e dos portais Covid-19, no sensacionalismo ( sim, boa parte não noticia a covid-19 e os números tão somente, fazem um show atrás de cliques, audiência e puro terrorismo ) em levantar a bandeira do Lockdown, de forma descarada, provando o jornalismo militante que fazem, sem se importar com a maioria da população que não é bancada por Prefeituras, Vereadores e políticos de estimação, que essa mesma ‘Mídia’ defende e fala bem nas colunas e matérias.

Ser a favor do fechamento do comércio é hoje, ser contra o povo e o empresariado, que sim, vive e depende daquilo que vende e produz.

Medidas mais severas e uma fiscalização que funcione, se faz necessário, aliás, sempre se fez pertinente, mas ausente em Cabo Frio e na maioria das cidades brasileiras, porém, é muito fácil defender o fechamento de tudo com o seu salário, em dia, e na conta, para os defensores de plantão, com a geladeira cheia e com as contas pagas em dia, porque, trabalhando ou não, essa corja recebe e tem o seu dinheiro certinho, o que não reflete a realidade da maioria dos cabo-frienses e brasileiros.

Saúde e vidas precisam andar junto com economia e geração de empregos, o resto é discurso militante daqueles que se preocupam apenas com os seus bolsos!