Zé da Pedra | Bonifácio radicaliza e ameaça lacrar estabelecimentos com barreiras de pedras casos os empresários desrespeitarem o decreto

675

O prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, radicalizou e, ao assinar o novo decreto que endurece as medidas de prevenção a propagação do novo coronavírus, nesta segunda-feira, (15) ameaçou lacrar estabelcimentos que insistirem em descumprir as medidas estabelecidas no decreto com pedras a exemplo do que fez o prefeito de Macaé, Welberth Rezende, em uma das entradas da cidade, que servia como rota para escapar bular a fiscalização das barreiras sanitárias de acesso ao município.

O prefeito acusou restaurantes de promoverem baladas com pista de dança, apesar do agravamento da crise e do lotação dos leitos de UTI destinados a pacientes vítimas da COVID-19. Ele lembrou que um dispositivo do decreto prevê a interdição do estabelecimento.

— No fim de semana interditamos um estabelecimento e no domingo ele reabriu. A situação do município é grave. Vamos interditar mesmo. Não é cassar o alvará burocraticamente, não. Vamos lacrar. Vamos colocar pedras grandes na porta do estabelecimento comercial se esta for a saída para que ele não possa abrir a porta. Vamos ser radicais mesmo.

Essa é a determinação, ameaçou o prefeito, que anunciou a criação de um Comitê Executivo comporto por cinco secretários que terá autoridade para requisitar funcionários, máquinas, equipamentos para fazer cumprir as normas do decreto e poderá estabelecer novas restrições a exceção de fechar a cidade e decretar lockdown.

José Bonifácio admitiu que o novo decreto é duro. A prefeitura vai funcionar em novo horário a partir desta terça-feira, das 9 às 16 horas, a exceção dos serviços essenciais. O decreto também muda o horário de funcionamento do comércio que será de 1030 às 22h. Shopping podem operar de 10 às 22 horas. O objetivo é reduzir a ocupação nos ônibus que não poderão circular com passageiros em pé. Oficinas poderão funcionar de 8 às 18 h. Os barraqueiros poderão trabalhar nas praias mas estão proibidos de colocar mesas, cadeiras e guarda sol na areia. A proibição também vale para os banhistas.

O decreto reduz a capacidade do terminal de ônibus de excursão da cidade de 80 para 40 por dia. A ocupação dos meios de hospedagem também vai ser reduzida de 75% para 50%. O aluguel de casas e apartamentos estão proibidos. O prefeito garantiu que vai retomar as barreiras sanitárias para impedir que as medidas que reduzem a entrada de ônibus na cidade sejam burladas.

—Mais duro do que isso só fechar as praias completamente e a cidade mas ái estaríamos penalizando todos que estão cumprindo as normas, finalizou o prefeito.