Rômulo “Trabalho” Gomes: vice-prefeito de Saquarema mostra que é presente no dia-a-dia da cidade

232

Quando a gente fala em “vice”, só pensamos naquela figura que assume caso o chefe do Executivo, seja ele municipal, estadual ou federal, fique impedido. Mas, em Saquarema, Rômulo Gomes mostra que não é esse personagem. Vice-prefeito de uma das cidades que mais se desenvolvem no interior do estado, o número dois da Prefeitura mostra que é com muito trabalho que ele contribui para o crescimento do município.

“Talvez as pessoas tenham essa imagem pejorativa de que vice não trabalha. O papel de um vice, independente da esfera (federal, estadual ou municipal), é muito importante na administração pública. Ele deve estar presente na procura das demandas da população e levando para o chefe do Executivo. E essa tem sido a minha função”, contou Rômulo.

E se engana quem pensa que o trabalho do vice-chefe do Executivo saquaremense é em um gabinete. Rômulo é facilmente encontrado nas ruas, fiscalizando atos da prefeitura e ouvindo a população. “Tenho visitado muito as obras do município, conversado muito com a prefeita Manoela, e dado a minha opinião para colaborar ainda mais nos projetos. Manoela e eu temos uma ótima comunicação”, disse.

Para Rômulo, que também é empresário e presidente de um clube de futebol, ouvir o povo é a chave para uma administração de sucesso. “Sou um vice-prefeito presente nas ruas, nas redes sociais… É muito importante ouvir a população. Não se faz uma obra sequer sem escutar a população”, acredita.

“Por isso, no meu gabinete, atuo dessa forma: escutando a população, anotando as demandas, levando para a prefeita e tentando dar solução aos problemas. Sou um vice-prefeito presente na administração da Prefeita Manoela”, afirma.

“Vice chato” – Durante a campanha eleitoral, Rômulo já dava sinais de que iria ser muito atuante durante o mandato. Tanto que, em uma reunião, acabou dizendo que seria um “vice-prefeito chato”, algo corrigido imediatamente.

“Essa questão do ‘vice-prefeito chato”‘ é até engraçada. Quando eu disse que seria um vice-prefeito chato, a Manoela olhou para mim e disse: ‘chato? Pelo amor de Deus’, e eu recoloquei o termo: serei um vice-prefeito participativo”, lembrou Rômulo. “Mudei de ‘chato’ para ‘participativo’ pois ninguém quer alguém chato na sua cola. E eu tenho sido um vice-prefeito presente, participativo”, destacou.

A relação com a prefeita Manoela Peres também é muito boa. “Minha relação com a Manoela não poderia ser melhor. Temos uma comunicação muito boa, entendemos as demandas da população e pensamos muito igual. É uma boa sintonia. E o trabalho com a prefeita no dia-a-dia é muito tranquilo”, concluiu o vice-prefeito saquaremense.