A eterna ‘Maria Chuteira’ teve o seu direito a vacina negado pela secretaria de saúde de Cabo Frio

718

A profissional da saúde de Cabo Frio-RJ, Andreia Maciel, que trabalha na rede municipal cabo-friense há 22 anos como enfermeira, teve o seu direito a vacina negado pela Secretaria de Saúde da cidade.

Andreia estaria afastada das funções profissionais, por causa de problemas de saúde. No entanto, ela resolveu fazer um desabafo nas suas redes sociais, porque de acordo com Maciel, alguém da pasta afirmou que ela não teria prioridade pra ser vacinada.

A eterna ‘Maria Chuteira’, personagem que Andreia eternizou na antiga Rádio Globo nas transmissões de futebol, fez a live aos prantos e indignada com essa situação.

“Pensei muito se eu ia fazer esse vídeo ou não, mas resolvi fazer, cara. Bom, quem me conhece sabe, que eu sou enfermeira há mais de 30 anos. Em Cabo Frio-RJ eu estou desde 1999 trabalhando na Prefeitura, sou concursada. Ajudei a montar a unidade de paciente grave, que é o nosso CTI. Adoeci dentro das unidades de saúde, em 2017 fui parar no CTI com derrame pleural, com derrame de pericardio, voltei a trabalhar, voltei a passar mal, estou de licença.

Esperei, saiu a vacina. Esperei, que as pessoas que estão de frente… Acho que elas têm a prioridade, né? Aí você está vendo tanta gente, aí: ah, fulano vacinou, trabalha com veterinário. Ah, fulano que não sei o que, trabalha… pegou a xepa. E aí, eu fui lá procurar saber hoje: gente, eu posso me vacinar? Sabe qual foi a resposta? Você não é a prioridade.

Você que durante anos dedicou a sua vida pra Saúde, e que agora quer cuidar da sua… Você não é prioridade. Eu tenho certeza, que muita gente que está aí, que tá no meu Facebook, que tá na minha vida, sabe da minha vida como enfermeira. Mas, agora porque eu tô doente, eu não sou prioridade.

Eu quero a minha vacina! Eu quero a minha vacina! Por favor, Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio-RJ, eu quero a minha vacina! Eu dei a minha vida aí, eu tenho direito. Eu não sou prioridade, agora! Mas, se tem hoje uma unidade de paciente grave, nós ajudamos a montar. Então, eu quero respeito! E eu quero a minha vacina”, desabafou Andreia Maciel.