Cabo Frio suspende barreiras sanitárias e mantém proibição de praias após pausa emergencial no Rio

Medidas devem ser publicadas em novo decreto até o fim desta segunda-feira (5), segundo o prefeito.

433

A Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, anunciou que vai prorrogar a interdição das praias da cidade e suspendeu as barreiras sanitárias que foram implantadas durante o período de pausa emergencial no Estado do Rio de Janeiro.

Continuam mantidas as medidas de proibição de festas e funcionamento de casas de show. Os hotéis e meios de hospedagem podem funcionar com 50% da capacidade.

As medidas serão prorrogadas por mais uma semana, segundo o prefeito José Bonifácio (PDT).

O novo decreto deve ser publicado até o fim desta segunda-feira (5), mas as barreiras já deixaram de funcionar. As restrições que foram adotadas durante a pausa emergencial continuam em vigor.

Segundo a Prefeitura, a única barreira que continua montada é a da ponte do distrito de Barra de São João, que dá acesso à Casimiro de Abreu. A permanência da barreira foi um pedido da Prefeitura de Casimiro de Abreu.

Durante a pausa emergencial, prefeitos de diversas cidades da região se uniram para trabalhar em conjunto nas barreiras montadas em pontos estratégicos. A maior barreira foi montada na saída da RJ-124, a Via Lagos, na altura de São Pedro da Aldeia.

As equipes de fiscalização de Cabo Frio interromperam 11 festas clandestinas durante a pausa.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Entrada da Região dos Lagos teve trânsito quilométrico no segundo dia de pausa emergencial no RJ — Foto: Isadora Aires/Inter TV
Entrada da Região dos Lagos teve trânsito quilométrico no segundo dia de pausa emergencial no RJ — Foto: Isadora Aires/

Neste ponto da barreira, motoristas chegaram a enfrentar um engarrafamento de cerca de 10 km, com aproximadamente 3 horas de tempo de espera.

Após a pausa emergencial, a cidade de Arraial do Cabo também anunciou que vai manter medidas restritivas até o dia 11 de abril. Entre elas, a proibição de acesso às praias e a suspensão das atividades turísticas.