Aulas presenciais são retomadas no Rio nesta quarta-feira

264

RIO DE JANEIRO – As aulas presenciais serão retomadas nesta quarta-feira (7) no Rio. Ao todo, 419 escolas da rede municipal serão reabertas, segundo a Secretaria Municipal de Educação.

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, atendeu ao pedido da prefeitura e derrubou a liminar que impedia as aulas presenciais.

Desde o início da posse, Paes vinha destacando que “as escolas seriam as últimas a fechar e as primeiras a abrir”. Depois da briga judicial 419 escolas da rede municipal serão reabertas, segundo a Secretaria Municipal de Educação. Escolas particulares também estão liberadas para receber alunos. Os profissionais de educação e representantes da prefeitura têm opiniões distintas sobre o assunto.

Para a coordenadora do Sindicato Estadual de Profissionais de Educação do Rio (Sepe), não é o momento adequado de reabrir as escolas.

De acordo com o site de notícias G1, às 7h30 de hoje, ainda não havia movimentação de estudantes em uma escola municipal na Penha, na Zona Norte da cidade. Alguns funcionários já estavam no local, mas os portões da unidade permaneciam fechados.

Sobre a briga judicial

A Prefeitura do Rio tinha autorizado o ensino presencial na rede privada já para a última segunda (5), mas a liminar de Brandão havia proibido a reabertura dos estabelecimentos.

Na rede municipal, as escolas tinham reservado a última segunda para serviços administrativos e receberiam os alunos na manhã de terça (6).

O retorno às salas havia sido suspenso na noite de domingo (4), no Plantão Judiciário, quando o juiz Roberto Câmara Lace Brandão concedeu uma liminar [decisão provisória] em resposta a uma ação protocolada por vereadores e deputados estaduais do Psol. A decisão tinha sido confirmada na noite de segunda pela juíza titular da 2ª Vara da Fazenda Pública Georgia Vasconcellos da Cruz.

O presidente do TJRJ destacou também que “prevalece o respeito aos critérios utilizados pelo Poder Executivo, a quem (…) cabe definir seus planos de ação no combate à pandemia”.