9% dos adolescentes nos EUA fazem trade com criptomoedas

144

Os adolescentes dos Estados Unidos estão consumindo drogas pesadas. Uma delas é o trade com criptomoedas.

Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pelo banco de investimentos Piper Sandler, intitulada Taking Stocks With Teens. Ela foi realizada com 7 mil jovens estadunidenses.

No total, cerca de 630 deles responderam que fazem trades regulares com criptomoeda. O número equivale a cerca de 9% dos entrevistados.

A presença masculina nas atividades de trading ainda é predominante. Mesmo assim, em torno de 19% dos jovens que fazem trade com criptomoedas são do sexo feminino.

Segundo o relatório, a maioria dos jovens entrevistados pertencem à chamada Geração Z. Ou seja, nasceram entre os anos 1995 a 2010.

Trade como segunda atividade

A pesquisa não traz informações detalhadas a respeito da atividade de trade, como tempo dedicado ou lucros obtidos. Contudo, é possível que muitos exerçam a atividade como uma renda extra.

Por exemplo, o questionário aponta que 33% dos adolescentes têm um emprego de meio período. Isso sugere que o trade pode não ser a fonte de renda exclusiva deles.

Na pesquisa também foi perguntado o que os jovens acham a respeito da situação econômica dos EUA. Cerca de 46% disseram que está ruim, contra 25% que acham a economia boa.

Embora negociem muitas criptomoedas, os jovens não costumam utilizá-las no dia a dia. O dinheiro é o principal método de pagamento, seguido pelo Apple Pay.

Especialistas falam sobre riscos do trade

Os dados revelados na pesquisa levantam algumas questões. Por exemplo, os adolescentes devem ou não ter acesso a criptomoedas? E quais são as obrigações das exchanges ao lidar com esses clientes?

Curtis Ting, diretor geral da Kraken na Europa, falou sobre isso. Ele explica que a exchange é um facilitador do acesso às criptomoedas, mas que a segurança é levada a sério na plataforma.

“A Kraken leva muito a sério seu papel de facilitador de um mercado de criptomoeda seguro. Todos os clientes devem ter pelo menos 18 anos de idade, independentemente de onde eles vivem”, afirmou.

Essa é uma regra geral. A maioria das exchanges (Binance, Coinbase, etc) exige a idade mínima de 18 anos para operar nas plataformas. Ainda assim, existem formas deles acessarem esse mercado.

“Por design, criptomoedas podem ser facilmente acessadas por qualquer pessoa na internet. É preciso haver mais trabalho para tornar as informações sobre os riscos de investir em criptomoedas ou em qualquer coisa na internet facilmente disponíveis para todos, incluindo adolescentes”, afirmou Nishant Sharma, fundador da BlocksBridge.

A atividade de day trade tem atraído a atenção de jovens desde o ano passado. Por isso, muitas empresas e profissionais lançaram alertas a respeito da atividade e de seus riscos.