Em 12 dias, abril ultrapassa julho e tem o segundo maior número de mortes no Brasil desde o início da pandemia

190

Com apenas 12 dias, abril já se tornou o mês com o segundo maior número de mortes por Covid-19 no Brasil desde o início da pandemia: já são 33.145 mortes registradas neste mês, segundo dados apurados pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias de Saúde do país.

Até esta segunda-feira (12), o segundo pior mês da pandemia em número de mortes era julho de 2020, quando 32.912 pessoas perderam a vida para a doença.

Se o total de mortes de julho for dividido pelo número de dias do mês, houve, em média, 1.602 mortes por Covid por dia naquele mês. Usando o mesmo cálculo para abril, em comparação, este mês já tem uma média de 2.762 mortes diárias registradas pela doença.

A data de julho com mais mortes foi o dia 29, quando 1.554 vidas foram perdidas para a Covid. Em abril, o maior número foi visto no dia 6, quando 4.211 mortes foram registradas, quase três vezes mais. Ao todo, o Brasil já registrou mais de 355 mil óbitos por Covid-19.

Para a epidemiologista Ethel Maciel, professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o alto número de mortes de abril reflete a alta nos casos vista no mês passado, principalmente nas duas últimas semanas de março.

“Nós sabíamos que, em abril, iríamos ainda manter esses números altos de internação, pressão por leito de UTI e óbito”, explica.

Ela também acredita que os números altos de mortes devem se manter em abril, justamente por causa da grande quantidade de novos casos ainda vistos todos os dias no país.

“Nós ainda estamos mantendo muitos casos novos todos os dias, o que indica que, no mês de abril , nós ainda teremos muitos casos, muita pressão por leito de internação, e, ainda, muitos óbitos”, afirma Maciel.

O dado referente às mortes de abril foi calculado somando-se as mortes diárias vistas em abril desde o dia 1º até o dia 12. Os números de mortes em 2021 foram determinados da mesma forma; os dos meses de 2020 foram calculados com uma metodologia um pouco diferente, mas cujo resultado é o mesmo (veja mais ao final da reportagem).

vídeo abaixo, de quando o Brasil chegou à marca de 300 mil mortos por Covid-19, em 24 de março, conta a história de pessoas que perderam familiares para a doença.