PASSOU DOS LIMITES| Bonifácio prioriza Parque Aquático enquanto Cabo Frio tem enxurrada de mortos vítimas da COVID-19

932

CABO FRIO – O prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, passou de todos os limites ao decidir priorizar a construção de um Parque Aquático, em Cabo Frio, enquanto a cidade não para de lamentar o contar mortos vítimas da COVID-19. A reunião para definir a instalação do empreendimento está marcada para às 14h30 desta sexta-feira (16) segundo a agenda oficial do prefeito divulgada nesta quinta-feira (15), pelas assessoria de comunicação do governo.

Bastou a divulgação para o prefeito receber uma enxurrada de críticas e virar alvo da revolta e também do bom humor dos internautas. Uma das imagens que caiu na rede mostra o prefeito na frente dos tobo-águas do Riala, o Parque Aquático do adversário político Alair Corrêa.

O governo, mais uma vez se mostrou insensível e a comunicação incompetente, no dia que a população cabofriense voltou a se assustar com o crescimento do número de mortes e perdeu pessoas como o radialista Miro Brandão, de 56 anos, que estava internado e intubado no Hospital Municipal Otime Cardoso dos Santos, no bairro Jardim Esperança e não resistiu as complicações da doença e a professora Tânia Cândido Santana, que trabalhou na Escola Municipal José Bento Ribeiro Dantas e na Rede Municipal de Cabo Frio.

O governo anunciou a construção do parque pelo Instituto Internacional de Pesquisas XMAR, em janeiro. Mas não teria momento mais infeliz para discutir a instalação do oceanário numa área de 500mil m², próximo à antiga Companhia de Salinas Perynas. Cabo Frio registra até esta quinta-feira, 8.952 infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia. A cidade contabiliza 434 mortos, o dobro do número que registrava no dia 1º de janeiro quando o governo tomou posse. Os leitos de UTI e enfermaria tem ocupação próxima dos 100%, sem falar na crise provocada pelas medidas de restrição que aumentaram a fome e o desemprego na cidade.

Um governo que respeita a população, que se preocupa com seu povo e com um mínimo de humanidade, de decência não pode ter na pauta outro assunto, nesse momento, que não seja o combate a pandemia e a garantia de leitos para que cidadãos não morram em macas nos corredores imundos das UPAS. Reunião com empresário para discutir construção de parque aquático é um escárnio com a dor da população. Merece não só o nosso repúdio, mas também a nossa indignação e vergonha.